Simon Baker Brasil

Seja bem vindo ao nosso forum!

Se você é fã de Simon Baker, esta no lugar certo.

Cadastre-se para ter acesso a todo o conteúdo do site.

Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Finalizada Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sex Jan 21, 2011 11:32 pm



Título: Confusões Amorosas
Autor: Giseli de Andrade
Shipper: Patrick Jane & Teresa Lisbon
Gênero: Romance, Ação e Comédia
Categoria: 3 Temporada / AU
Advertências: Cenas de violência moderada e indução ao sexo
Classificação: PG-13
Capítulos: 10
Completa: [X] Yes [ ] No





******************************************





OUTRAS FANFICTIONS



SÉRIES: Moonlight, Moonlight & Angel ( Crossover ), Prison Break, The Mentalist, Bones, Stargate Atlantis, O mundo perdido, Roswell, A Gata e o Rato ( Moonlighting ), Smallville, Jeannie é um gênio, Eleventh Hour, Lois & Clark - The New Adventures Of Superman, Haven

FILMES: Cidade dos anjos, Robin Hood - O Príncipe dos ladrões, O Conde de Monte Cristo

ATORES: Alex O´Loughlin





******************* PROMO: *******************


Lisbon, Patrick e Kristina Frye haviam sido convocados para uma investigação de assassinato fora da cidade.
Tudo ia bem, até que o helicóptero em que eles estavam acaba caindo em uma praia deserta.
Agora os três, com temperamentos tão diferentes entre si... precisarão aprender a conviver de forma pacífica até que alguém apareça para salva-los.

Essa " união forçada " lhes trará divertidas e emocionantes situações, que possivelmente mudará a vida deles por completo.


**********************************************


Última edição por ladymarion em Sab Out 01, 2011 10:10 pm, editado 5 vez(es)
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sex Jan 21, 2011 11:33 pm

Introdução....




Nos dias atuais.....



Já se passava um mês desde que a equipe da CBI tinha conseguido salvar a vidente Kristina Frye das garras de Red John, que infelizmente havia conseguido escapar mais uma vez.
Nesse período Kristina acabou ficando mais íntima da equipe, principalmente de Hightower.
Com isso, a nova chefe da CBI requisitava a vidente em alguns casos importantes.

E esse, era um deles.....

Lisbon, Patrick e Kristina estavam em um helicóptero que pertencia a um influente senador dos Estados Unidos, que os havia convocado para investigar um crime ocorrido em sua própria residência, que ficava em um outro estado.
A viajem já durava horas, e Lisbon começava a se sentir encomodada.

- Falta muito ainda?
- Não senhora.... - responde o piloto á Lisbon.

Patrick ria ao se virar e ver a cara de desgosto de Lisbon, que estava sentada logo atrás... ao lado de Kristina Frye.

- Paciência Lisbon... vamos chegar logo.
- Eu estou bem Jane. - dizia ela, com uma leve irritação na voz.
- Não parece... esta pálida. - comenta a vidente de forma gentil, ao tocar no braço dela.
- Não é nada. - respondia Teresa em um tom seco, ao fechar os olhos e suspirar profundamente.
- Devia se acostumar, ela é sempre ranzinza pela manhã. - fala Jane em tom brincalhão ao piscar para Kristina.
- Ha... ha.. ha... isso piora quando tenho que viajar com você... - rebate Lisbon ao fingir uma risada, ainda de olhos fechados.

Kristina sorria ao ver a briguinha dos dois.

- Nossa...vocês dois discutem como um casal... - comenta o piloto, não conseguindo segurar o riso.

Patrick sorri, enquanto Lisbon abre os olhos rapidamente... praticamente chocada com aquele comentário.
Já Kristina, tentava não demonstrar sua encomodação com o que o piloto havia dito.

- Eu e ela? - pergunta Jane fazendo graça, ao gesticular com as mãos.
- Deus me livre... eu preferiria que esse helicóptero caísse agora mesmo. - comenta Lisbon, com um ar de superioridade.

Lisbon e Jane trocam um sorriso irônico enquanto Kristina os observava atentamente.

- Oh! Oh! - dizia o piloto, ao olhar para o lado esquerdo da aeronave.
- O que foi? - perguntava a vidente asssustada.
- O que quer dizer com... " Oh! Oh! " - perguntava Lisbon, o encarando seriamente.

Quando o piloto se vira na direção de Patrick, o consultor entendia o que estava acontecendo.


- Bem senhora, acho que suas preces foram ouvidas. Tenho apenas alguns minutos para tentar pousar o helicóptero ou iremos cair diretamente contra a água... - dizia o piloto, ao apontar para a frente com a mão direita.

Os três passageiros olham assustados para uma grande extensão de mar que havia por alí.

- Essa não... - resmungava os três ao mesmo tempo.





*********************************
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Dom Fev 13, 2011 10:30 pm

Capítulo 1







No helicóptero



O piloto tentava de todas as formas controlar a aeronave.

- Meu Deus... vamos morrer. - dizia Kristina, fechando os olhos ao se segurar na poltrona.
- Não vamos não. - comentava Lisbon, se desprendendo de seu cinto e se inclinando sob as poltronas da frente.

Patrick observava a área pela janela, a procura de um lugar que pudessem pousar......

- Ai! Não vou aguentar muito tempo, estamos ficando sem combustível e a fumaça esta aumentando. - dizia o piloto, extremamente nervoso.
- Alí... alí... é uma praia. - gritava Patrick, mostrando com as mãos
- Esta bem, todos sentados e se segurem firme. - ordenava o piloto, tentando controlar sua respiração.

Patrick e Lisbon tomavam seus lugares novamente.

- Vamos lá gracinha... não me deixe na mão. - dizia o piloto a sua aeronave.

Os três passageiros fechavam os olhos tamanho o nervosismo que sentiam, já o piloto usava todas as suas habilidades para poder salvar a vida de todos. Eles então sentem o helicóptero chacoalhar fortemente.

- Vamos morrer.... - gritava Kristina em desespero.
- Não, não... - dizia Lisbon a si mesmo em sussurros.
- Minha nossa... - comenta Patrick, com a respiração descompassada.

O piloto ao ver que não estava conseguindo controlar o helicóptero, gritava desesperadamente.
Em seguida a aeronave caía contra o chão, se virando por algumas vezes....



Algum tempo depois
No escritório da CBI




Van Pelt chegava apressada a sua mesa.
Estava anciosa por notícias de Lisbon e Jane, que ficaram de se comunicar a algumas horas atrás.....

- Nada ainda? - pergunta Cho, ao se sentar perto dela.
- Não... estou começando a ficar preocupada.
- Eles estão bem. - dizia ele, com uma expressão serena.

Nesse momento Rigsby chega, sentando-se próximo aos dois.

- E então?
- Nada... liguei para a policia local e eles ainda não chegaram a casa do senador. - afirmava Rigsby.
- Aconteceu alguma coisa, eu posso sentir.. - dizia Van Palt, colocando a mão direita sob o coração.
- Calma. - dizia Rigsby, tocando o braço dela com gentileza.

Ele e Grace trocam um olhar carinhoso, mas Cho se via obrigado a interrompe-los assim que vê a chefe da unidade entrando pelo escritório. O grupo de agentes estranhavam o fato de Hightower ir diretamente para a sua sala acompanhada de cinco homens muito bem apessoados....

- Mas o que esta acontecendo? - resmungava Rigsby.

Os três ficavam de pé lado á lado, olhando fixamente para a sala da chefe.
Viam que ela conversava com os agentes e ao mesmo tempo estava ao telefone, parecia muito nervosa.
Hightower após dar suas ordens, dispensa os agentes que lhe acompanhavam. Em seguida ela ia até a sua equipe.....

- O que aconteceu? - perguntava Rigsby, muito nervoso.

Hightower baixava a cabeça por alguns segundos, respirando profundamente....

- Aconteceu algo com eles, não foi? - perguntava Van Pelt, igualmente aflita.

Cho tocava na ombro dela discretamente, como uma forma de conforta-la.
Hightower olha para eles novamente....

- O helicóptero do senador não chegou ao seu destino.
- Meu Deus... - dizia Van Pelt, sem conseguir respirar direito.
- Acha que eles...
- Agente Rigsby, no momento tudo o que sabemos é que o helicóptero em que estavam esta temporariamente desaparecido... vamos manter a fé... - dizia a chefe com carinho.
- Tem razão, precisamos nos manter calmos e concentrados no caso de precisarem de nossa ajuda. - comenta Cho.

Todos concordavam, acenando levemente com a cabeça.

- Irei fazer algumas ligações, assim que eu tiver novidades comunico a vocês. - avisa Hightower, já voltando á sua sala.

Rigsby e Van Pelt trocam um abraço carinhoso, já Cho se reencosta na mesa de forma pensativa.
Todos estavam muito preocupados com a situação dos amigos.



Já na praia



Jane abria os olhos devagar, percebendo que estava preso ao cinto e que o helicóptero havia ficado de cabeça para baixo.

- Oh! - resmungava ele, ao se soltar.

Patrick olhava para o lado, percebendo que o piloto tinha uma forte contusão na cabeça.
O consultor da CBI encostava seus dedos no pescoço dele, constatando que ele estava morto.

- Jane... - resmungava Lisbon, colocando uma das mãos na cabeça.
- Estou bem... como você está? - perguntava ele, olhando para ela com uma certa dificuldade.
- Acho que bem, ai! - resmungava ela, também se soltando logo em seguida.
- Kristina? Kristina? - chamava Patrick, vendo que ela estava dependurada e ainda por cima sem sentidos.

Lisbon se remexia um pouco, a socorrendo imediatamente.

- Ela esta viva. - dizia a agente da CBI, tentando solta-la.

Jane com um pouco de trabalho, conseguia sair do helicóptero.
Ele seguia para o outro lado da aeronave, para que pudesse tentar retirar Kristina do meio dos entulhos.
Lisbon decidia fazer o mesmo, mas ao se aproximar dos dois... via que Kristina estava deitada na areia enquanto Patrick permanecia ajoelhado ao seu lado.

- Kristina? Esta me ouvindo? - perguntava Jane de forma insistente, tocando o rosto dela.

Lisbon tentava disfarçar seu nervosismo ao ver Patrick tratanto a vidente de uma forma tão carinhosa.

- Vamos puxa-la mais para lá. - sugere Lisbon, ajudando Jane a arrastar a vidente pelos braços.

Após se afastarem por alguns metros, Lisbon e Jane se sentam no chão.
Eles tentavam acalmar suas respirações enquanto olhavam para o que havia sobrado do helicóptero....

- Tem certeza que esta bem? - perguntava Jane, vendo que Lisbon tinha um ferimento na testa.
- Estou... não foi nada. Acredite, já estive em situações bem piores. - dizia ela resmungando ao tocar em seu ferimento.
- Pelo menos tivemos mais sorte que o piloto. - dizia Patrick, baixando a cabeça.

Lisbon respirava profundamente, entendendo o que Patrick queria dizer com aquilo.

- Meu telefone.... - resmungava ela, colocando as mãos no bolso e não o encontrando.
- Deve te ficado no helicóptero, também não encontro o meu - dizia Jane, colocando a mão em suas roupas.

Lisbon se levanta, e memo um pouco tonta... decidia voltar a aeronave.
Patrick observava ela de longe, e então algo lhe chama a atenção....

- Lisbon....
- O que?
- Saia dai... - dizia Patrick, lhe acenando por diversas vezes.

Lisbon, notando a tensão que havia na voz de Jane... olhou mais atentamente ao entulhos, podendo ver um foco de incêndio.

- Minha nossa... - dizia ela, tentando correr.

Mas o resto da aeronave explode em seguida, fazendo que Lisbon caísse ao chão devido ao impacto.
Já Jane, havia colocado parte de seu corpo sob Kristina, para impedir que ela se ferisse mais gravemente,

Kristina começava a se remexer, deixando Patrick mais aliviado.

- Oi... esta tudo bem? - perguntava Patrick, com um sorriso encantador.
- Acho que sim... o que aconteceu? - perguntava a vidente, ainda confusa.

Jane a ajudava a se levantar, enquanto Lisbon seguia até eles resmungando baixinho.

- Oh! Minha nossa... - dizia Kristina, ao ver o helicóptero em chamas.
- Precisamos encontrar uma maneira de procurar ajuda. - dizia Lisbon, já ao lado deles.
- A essa hora já devem ter notado nossa ausência. - relembra Kristina, tentando se equilibrar.

Jane a apóia com seus braços, deixando Lisbon um pouco nervosa.

- Com o helicóptero em chamas, eles poderão nos escontrar mais fácil. - dizia Patrick, de uma forma mais tranquila.

De repente os três notam que o céu estava escurecendo.
Poucos minutos depois, puderam sentir uma chuva grossa começando a cair.

- Essa não... - resmungava Lisbon, com um grande desanimo.

O grupo então via que o fogo da aeronave começava a sumir.

- É... parece que nos três teremos que passar um tempinho juntos. - dizia Jane, suspirando profundamente.

Lisbon e Kristina trocam um breve olhar de desconforto.

- Nós três? Presos nessa praia... - resmungava Lisbon, com uma leve irritação ao encarar Jane.
- Qual é Lisbon, pense que estamos acampando ou algo parecido. - sugere ele, lhe dando um sorriso sarcástico
- Odeio acampar Jane. - resmungava ela, o encarando com frieza.
- É... mas parece que não temos ecolha. - afirmava Kristina, sorrindo á Jane.
- Não se preocupe, vai ser divertido. Seremos como uma grande família feliz... - dizia Patrick, dando um sorriso maroto ao olhar para as duas.
- Estou começando a gostar da idéia. - confessava Kristina, olhando para Patrick de forma sedutora.

- Oh! Por favor.... preciso sair logo daqui. - dizia Lisbon furiosa, caminhando rapidamente pela praia em meio a chuva.

Jane dava uma grande gargalhada, em seguida ele e Kristina seguiam lentamente atrás de Lisbon.







Continua.........
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Seg Abr 11, 2011 12:05 am

Capítulo 2







Algumas horas depois



Lisbon, Jane e Kristina já andavam a algum tempo.
Após a forte pancada de chuva, o sol finalmente voltava a aparecer.

- Nossa... que calor. - dizia kristina, enxugando o suor de sua testa.

Jane sorria, ainda caminhando ao lado dela.
Já Lisbon... seguia marchando logo mais a frente. Ela resmungava o tempo todo, provocando pequenos risos no consultor da CBI.

- Precisamos encontrar um local para nos abrigarmos, daqui algumas horas será noite e.... - Jane parava de falar quando Lisbon se virava, e o encarava de forma séria.
- Precisamos continuar andando, e achar alguma forma de sinalizar onde estamos.
- Lisbon, seje um pouco razoável... eles não irão nos encontrar a noite. Precisamos procurar um lugar para ficarmos protegidos.
- Jane? Olhe a sua volta. Só temos areia e água... - resmungava Lisbon, voltando a andar novamente.
- Quer saber, acho que Jane tem razão. Sem contar que... poderíamos tentar encontrar algo para comer, estou faminta. - dizia a vidente, colocando as mãos sobre a barriga.

Lisbon não dava muita atenção ao comentário de Kristina, queria sair logo dalí.
O fato da vidente falar com Patrick com tamanha intimidade e doçura estava incomodando a chefe do consultor... tanto que cada vez que Kristina abria a boca para falar algo... a agente a imitava de forma irônica, mas em um tom baixo para que o casal logo atrás não percebesse....

- Hey! Olhem lá... - dizia Jane, apontando com a mão direita para o lado esquerdo de onde estavam.

Lisbon e Kristina seguiam a orientãção dele, notando que logo mais adiante haviam algumas pedras enormes espalhadas em um ponto da praia. Algumas delas estavam empilhadas de uma tal forma que formavam um pequeno abrigo, o que seria muito últil no caso de precisarem se proteger de novos temporais....

- Vai ser um ótimo lugar para passarmos a noite. - comentava Kristina, que olhava para Patrick com um sorriso iluminado.

Patrick sorri ao ve-la caminhando até o local, ele então pára ao lado de Lisbon... que olhava em direção as pedras, irritadíssima com a idéia de terem que ficar no local.

- Lisbon... tente relaxar um pouco mulher, amanhã quem sabe teremos ajuda. - dizia Jane, já indo atrás de Kristina.
- Relaxar? Estamos presos nessa maldita praia... como é que vou relaxar? - resmungava Lisbon ao gritos seguindo em uma outra direção. Ela estava determinada a encontrar algo que os ajudasse a sair daquela situação de uma vez por todas.



De volta a CBI



Grace, Cho e Rigsby ainda estavam no escritório.
Não sairiam dalí enquanto não tivessem notícias de seus amigos.
Os três permaneciam sentados lado a lado no sofá de Jane...

- Deus... não aguento mais essa espera. - resmungava Van Pelt, colocando as mãos sobre a cabeça.
- Vamos ter paciência... Hightower não sai do telefone, quem sabe ela nos trará uma boa notícia. - dizia Cho ao lado amiga, colocando sua mão sob o ombro dela.

Van Pelt dá um pequeno sorriso á ele.

- Tomara que o helicóptero não tenha caído. - comentava Rigsby, respirando profundamente logo em seguida.
- Wayne... vira essa boca para lá. - dizia Van Pelt irritada, se levantando e indo em direção a cozinha.

Rigsby e Cho trocam um pequeno olhar....

- Vá falar com ela, está assustada... precisa de você. - sugere Cho, se levantando e indo em direção ao elevador. Precisava sair até o pátio para poder respirar um pouco de ar puro.

Enquanto isso...
Rigsby ia até a cozinha e encontra Van Pelt se servindo de um pouco de café.

- Hey! - dizia ele com carinho, já se aproximando da jovem.
- Wayne... desculpe, eu... - dizia Van Pelt se virando, e ficando de frente á ele.

Rigsby pega a xícara de café dela, e a coloca sobre a pia.

- Vem cá... - dizia ele, a aconchegando em seus braços.
- Não quero perde-los.
- Não vamos Grace, sabe como Lisbon é durona...e Jane, esperto o bastante para se manterem bem até que possamos encontra-los.

Grace tentava respirar fundo.
Rigsby ficava com ela por alguns minutos, então acabam sendo surpreendidos por Hightower.

- Desculpe... - dizia Van Pelt, se afastando lentamente de Rigsby.
- Nós apenas estávamos.... - Rigsby tentava se explicar.
- Tudo bem, não temos tempo para isso agora. Consegui informações importantes... - dizia Hightower, com uma grande tensão na voz.
- E então? - perguntava Van Pelt um pouco nervosa.
- Não encontraram o helicóptero em lugar algum... tudo leva a crer que a aeronave possa ter caido no mar.
- Meu Deus... - dizia Van Pelt assustada, ficando com as pernas trêmulas.

Rigsby a segurava, apoiando a agente em seu corpo.

- Chamem o Cho, vamos nos reunir com outros agentes para criarmos um grupo de busca. Espero vocês na minha sala em 20 minutos. - ordenava Hightower, que em seguida voltava a sua sala.
- Vamos... precisamos chamar o Cho.

Van Pelt sinaliza que sim com a cabeça, e ainda abraçada a Rigsby eles seguem atrás do amigo.



De volta a praia



Já era noite.
O céu estava estrelado e o calor mais ameno.
A lua brilhava com tanta intensidade que iluminava uma grande extensão da praia.

Kristina e Jane estavam em volta de uma pequena fogueira improvisada, feita pelo próprio consultor.
Ele também havia construido uma estrutura de galhos de árvores bem em cima da fogueira. Para que eles pudessem assar alguns peixes, afim de se alimentarem enquanto o resgate não aparecia.

- Não sabia que você poderia fazer uma fogueira tão bem. - comentava Kristina, sentada bem ao lado dele.
- Aprendi muitas coisas quando eu estava no circo... - dizia Jane, virando um pequeno galho no qual o peixe que haviam pegado a poucos tempo estava preso.
- Difícil imaginar você em um circo.
- É... eu sei. Mas foi uma fase importante da minha vida. Onde acabei treinando ainda mais minhas habilidades de observação. Sem contar que... minha esposa estava ao meu lado. - dizia Jane, baixando a cabeça.

Kristina pôde perceber que ele ficou triste ao lembrar dela.
Ela então decide mudar o rumo daquela conversa....

- Em falar em habilidades de observação... o que há com a agente Lisbon? - perguntava Kristina, ela olhava para a agente que estava bem afastada deles... sentada na areia da praia observando o mar.
- Lisbon está assustada. - revelava Jane, olhando em direção a chefe.
- Assustada? Ela? Meio difícil de acreditar. - comentava Kristina, encarando Jane com um olhar divertido.

Jane e Kristina trocam um pequeno sorriso.

- Lisbon tem toda essa postura de durona, é mandona, adora estar no controle da situação. Mas quando ela se vê em uma situação dessas...
- Entendi, ela tenta de todas as formas se manter firme, mostrando que todos podem contar com ela. Eu... a conheço pouco mas, a agente Lisbon me parece uma pessoa... um tanto.....
- Amargurada? - perguntava Jane.
- É...
- Acho que não. Lisbon é... uma mulher batalhadora, ela leva a sério sua postura de chefia na CBI. É muito profissional, até demais eu diria. Ela... é, fabulosa. Mas um pouco durona consigo mesma. - dizia Jane, cachoalhando a cabeça de uma forma engraçada.

Kristina sorria de forma forçada, mas tentava se manter tranquila para que pudesse arrancar mais informações do consultor sobre sua " concorrente "....

- E quanto a vida pessoal?
- Lisbon não é de falar sobre isso... não gosta de expor seus sentimentos. Exceto quando eu a irrito, é claro .... - dizia ele de forma brincalhona.
- Você parece gostar muito dela. - comentava Kristina após dar uma pequena risada.

Jane sorria ao perceber onde ela queria chegar com aquela conversa...

- Mas é claro. Ela, Rigsby, Van Pelt e Cho são como... minha família. Depois que perdi minha mulher e filha me senti tão perdido e sozinho. Quando me juntei á eles foi como...
- Se o destino lhe desce uma chance de reconstruir sua vida... - comentava a vidente, ao olha-lo nos olhos.

Jane e a vidente começavam a se perder um nos olhos do outro.
Sem a menor cerimônia, Kristina inclinava seu rosto sob o dele devagar.

Lisbon no entanto se enfurecia ao ve-los quase se beijando.

- Era só o que me faltava... - resmungava ela, já se levantando.

Lisbon retirava seus sapatos, e os deixava jogados na areia enquanto caminhava em outra direção.

- Er... eu... - resmungava Jane, ao recuar um pouco seu corpo.
- Tudo bem. - dizia Kristina, sorrindo timidamente á ele.

Ao virar a parte superior de seu corpo, Patrick percebia que Lisbon se afasta deles de uma forma apressada.

- Vou ver como ela esta... cuide do nosso jantar. - pedia Jane, se levantando e piscando para ela.

Kristina sorri e se dedica a fazer o que ele havia lhe pedido, não meia esforços para poder agrada-lo.
Enquanto isso, Jane corria apressado atrás de Lisbon.

- Hey? Hey? Onde você vai? - gritava Jane, enquanto tentava alcança-la.
- A lugar algum, esse é o problema. - resmungava Lisbon, ainda marchando pela areia.

Jane deixa escapar uma pequena risada enquanto corria.

- Espera.... daqui a pouco podemos comer um belo peixinho.
- Não estou com fome. - dizia ela aborrecida.

Jane sorria enquanto corria um pouco mais, já parando em frente á ela.

- Jane....
- Lisbon, precisa descansar... - dizia ele com suavidade.
- Não há tempo para isso Jane.
- Tempo é o que mais temos no momento. - comentava ele, com um sorriso maroto.
- Jane... eu não quero ficar aqui, será que é tão difícil de entender? - questionava ela, já se irritando.
- Deus... você esta mais brava do que de costume... por acaso esta... naqueles dias? - perguntava ele em um tom debochado.
- Jane... - resmungava ela enquanto corria atrás dele.

Jane corria apressado sem conseguir parar de rir.

- Jane... juro que se você não se calar... - dizia ela, ao encara-lo com os punhos fechados.
- Esta bem, calma. - dizia ele tentando parar de rir, já esticando as mãos para a frente para que pudesse se defender se um possível ataque de Lisbon.

Lisbon o olhava sério, enquanto tentava controlar sua respiração e sua raiva.

- Passarmos a noite aqui não e tão ruim.
- Não é tão ruim? Não temos socorro, lugar para dormir, comida de verdade... sem contar que estou cansada e com dores. Olha eu não sou como você e sua amiga vidente... que acham que ficar aqui é como um passeio romântico.... eu quero apenas sair desse lugar e voltar para minha casa e para o meu trabalho. - falava ela aos gritos.
- Passeio romântico? Oh! Então é isso... dizia Jane, com um sorriso iluminado.
- Isso o que? - perguntava Lisbon, com uma expressão confusa.
- Você esta achando que eu e Kristina... - dizia ele, com uma expressão engraçada.
- Jane, qual é? Todos na CBI sabem que você e ela estão...
- O que? - perguntava ele com um olhar sedutor.
- Você sabe... - dizia Lisbon nervosa, gesticulando diversas vezes com as mãos.
- Não sei não... - comentava Jane, em um tom debochado.
- Quer saber, vá pro inferno. Vai lá comer seu peixe com ela e me deixe em paz... - dizia Lisbon, voltando a andar pela areia da praia.

Jane a olhava se afastar....

- Não acredito... ela esta com ciúmes... - dizia ele gargalhando.

Logo em seguida Jane voltava tranquilamente até a fogueira.
Estava surpreso e lisonjeado por perceber que Lisbon estava começando a demonstrar seus reais sentimentos por ele... mesmo que seje de uma forma um tanto forçada.







Continua..........
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Qui Jul 28, 2011 2:35 pm

Capítulo 3







Na praia



Lisbon caminhava pela areia sozinha, após um logo passeio decidiu voltar para junto dos outros.
Ela suspirava mais tranquila, olhando para a bela lua no céu.
Tudo parecia melhor até que...

Seu coração começava a apertar ao ver Patrick dormindo na areia bem ao lado de Kristina.
Eles estavam de frente um para o outro, pareciam tão tranquilos e a vontade.... e isso provocava uma forte onda de irritação na oficial da CBI.

- Controle-se... - susurrava Lisbon a si mesma, enquanto andava a passos pesados até onde estavam seus calçados.

Ela os segurava enquanto ia para mais perto da fogueira, mas mantendo uma certa distância de onde estavam Patrick e Kristina.

- Devia chegar mais perto de nós... comentava Jane, ainda deitado ao lado de Kristina.

A vidente se remexia um pouco, colocando os braços sob ele...
Lisbon fazia uma careta ao ver aquilo, e então voltava sua atenção ao mar.
Patrick sorrateiramente se afastava de Kristina, pegava algo perto da fogueira e se aproximava de Lisbon rapidamente.

- Droga... - resmunga Kristina, com uma expressão triste.

Jane se sentava o lado de Lisbon, ela no entanto o encarava com cara de poucos amigos.

- Tome... - dizia ele, lhe mostrando um pequeno galho no qual havia um pedaço de peixe assado.
- Não obrigada... - respondia ela diretamente.
- Vamos Lisbon, esta saboroso... e você não comeu nada o dia inteiro.
- Jane...

Jane sorria de forma irresístivel, balançando o galho com peixe lentamente.

- Esta bem.. - dizia Lisbon, tirando o galho da mão dele.

Jane sorria o ve-la saboriando aquele peixe com muita vontade......

- Como você está?
- Estou bem, e você? - perguntava ela, em um tom irônico.

Jane não conseguia segurar uma risada.

- Por que esta rindo?
- Nada não. Só estou prestando mais antenção em certas coisas... - comentava ele, dando um sorriso sacana.
- Eu imagino que coisas seriam essa... - dizia Lisbon olhando em direção a Kristina, que fingia estar dormindo.
- Hahahahaha.... - Jane não segurava uma gargalhada.
- Qual é a graça? - perguntava ela confusa.
- Você.....
- Eu? Por que? - insistia ela, já se irritando.
- É por causa de suas atitudes....
- Não sei do que você esta falando. - comentava ela, arremessando o galho e os restos do peixe em direção ao mar.
- Estou falando de mim... de Kristina e... de seus ciúmes.

Lisbon se levantava injuriada....
Patrick sorria, se levantando também.

- Mas que absurdo é esse?
- Não é um absurdo, é a verdade... é o que eu vejo... - comentava Patrick, com um ar decidido.
- Hahahaha, acho que você comeu areia em vez de peixe... essa sua teoria é rídicula... - dizia ela gargalhando, começando a caminhar em seguida.

Jane sorri, e seguia logo atrás dela....

- Se fosse mesmo rídiculo, voce não estaria fugindo...

Lisbon se virava rapidamente, o encarando com uma expressão zangada.

- Eu... não estou fugindo. - dizia ela, com os dentes cerrados.
- Não? O que esta fazendo então? Admita... esta com ciúmes. - dizia ele, colocando as mãos na cintura e mantendo uma postura vitoriosa.
- Hahahaha, ciúmes de você? Preferiria ser comida por um tubarão... - dizia ela, dando uma gargalhada debochada.
- Mesmo? - perguntava Patrick, fixando seus olhos aos dela.
- Mesmo.... - respondia Lisbon, tentando se manter firme.
- Sabe, não é isso que vejo em seus olhos. - insistia Patrick, se aproximando ainda mais dela.
- Pare aí mesmo... ou não respondo por mim - sugeria Lisbon, batendo com dois de seus dedos no peito dele.
- Por que esta nervosa Lisbon? - indagava ele, dando mais um passo e ficando a poucos centímetros do rosto dela.
- Não estou nervosa... e sim irritada com você, com a situação....- deslanchava ela, com uma voz bem alterada.
- Shhhhhhh! Se continuar assim vai acordar a Kristina... - dizia Patrick, fingindo uma expressão amorosa ao falar da vidente.
- Então pare de me irritar, e vá lá dormir com ela... não é que voce quer a tempo? - resmungava Lisbon, voltando a marchar pela praia.

Patrick Jane permanecia parado onde estava, apenas a observando com uma expressão divertida.

- Me deixe ler sua mente? - gritava ele.
- Nem pensar... - respondia ela enquanto caminhava.
- Por que? Tem medo do que eu encontre aí dentro? - insistia ele.

Lisbon se virava rapidamente, e o encarava com uma expressão raivosa.
Patrick sorria, apenas para deixa-la ainda mais desconfortável.

- Vá para o inferno Jane. - praguejava ela, enquanto se sentava na areia.

Lisbon retirava seu casaco e o amontuava na areia como se fosse um travesseiro.
Ela se deitava de barriga para cima rapidamente, fechando os olhos na tentativa de desviar todos aqueles pensamentos que insistiam em invadir sua mente, pelo menos uma vez queria ser corajosa a ponto de mandar toda aquela postura de durona para o espaço e se entregar ao que realmente sentia....

Jane no entanto não conseguia parar de rir....
Na ponta dos pés ele corria até ela, ficando próximo a cabeça de Lisbon.
Ele se inclinava e beijava sua testa com rapidez... voltando a sua postura normal logo em seguida.

- Hey... - resmungava Lisbon, indignada com o gesto.
- Bons sonhos, de preferência comigo... - dizia ele lhe piscando, já se afastando.
- Oras seu... - resmungava Lisbon, pegando uma pedra que havia alí e a jogando contra ele na tentativa de acerta-lo.

Jane corria ao mesmo tempo que ria sem parar.
Estava adorando fazer com que ela perdesse o controle de suas emoções.
O consultor se aproximava de Kristina, e percebendo que Lisbon tentava disfarsar ao olhar na direção deles... Patrick se deitava novamente ao lado da vidente, só que mais junto do corpo dela... apenas para provocar a sua " chefe ".

- Mas que droga... - resmungava Lisbon se virando para o outro lado, irritadissíma por ter que presenciar Kristina Frye nos braços de Patrick Jane...

A vidente no entanto, sorria discretamente ao sentir os braços de Patrick sob ela.
Ela se aconchega ainda mais nele. Sentindo uma forte alegria tomar conta de seu coração.



Enquanto isso.....
Em um Heliporto próximo a CBI



Hightower conversava com alguns agentes enquanto de preparava para entrar no helicóptero.
Cho, Rigsby e Van Pelt chegavam logo em seguida... ficando ao lado da chefe.

- Muito bem, iremos em quatro aeronaves distintas, deixem os comunicadores abertos. Vamos usar as últimas cordenadas que conseguimos ter graças ao controle de tráfego aéreo. Qualquer coisa que virem, comuniquem imediatamente.
- Sim senhora - dizia um dos oficiais.

Hightower os dispensa formalmente para que pudessem seguir com o seu trabalho.

- Estão prontos? - perguntava ela, olhando para Cho, Van Pelt e Rigsby.
- Sim senhora.... - respondia Van Pelt, imediatamente.
- Muito bem, vamos ficar atentos. Até que amanheça, será mais complicado para rastrearmos a agente Lisbon e os outros.

Os agentes da CBI iam se acomodando dentro da aeronave.
Van Pelt e Cho ficavam atrás, enquanto Rigsby e Hightower se instalavam logo a frente.

- Não se preocupem, sou uma ótima piloto. - dizia Hightower com um sorriso, vendo a surpresa dos três agentes quando ela tomava o controle da aeronave.

Eles sorriam tranquilamente um para o outro enquanto se aprontavam para partir.



Algumas horas depois
De volta a praia




Lisbon já estava dormindo, assim como Kristina e Patrick... que continuavam um de frente para o outro.
A magrugada começava a ficar mais fria, e a vidente um pouco incomodada... se virava lentamente.
Patrick resmungava um pouco, mas continuava a dormir a medida que se virava para o outro lado.

Kristina começava a murmurar inconscientemente, algo impedia seu sono.
Ela parecia ouvir alguma coisa... não conseguia identificar direito.
Após alguns minutos ela havia decidido abrir os olhos, foi então que viu o piloto deles logo mais a frente.......

Ela se concentrava, e então entendia o que estava acontecendo.
Após ele sumir, Kristina se sentava na areia... respirando descompassadamente.

- O que foi? Kristina? - chamava Patrick, se sentando ao lado dela.

A vidente apenas olhava para o horizonte...

- Kristina? - insistia Patrick, já tocando em seu braço.

Lisbon ouvia Patrick, e então decidia ir até lá para ver o que estava acontecendo.

- O que foi? - perguntava Lisbon, coçando os olhos de sono.
- Não sei... - comentava Patrick, ao tocar no rosto de Kristina para que ela olhasse para ele.
- Kristina?
- Hun? Patrick....
- O que foi? - perguntava ele, preocupado com ela.
- Qual o problema? - perguntava Lisbon.

A vidente olhava para os dois agentes.

- Eu vi... ele... er, eu recebi uma mensagem do nosso piloto.
- Oh! Isso? - perguntava Patrick, sem dar muita importancia.

Lisbon olhava para ele com censura....
Patrick no entanto erguia os ombros, mostrando que não achava aquilo importante.

- O que ele lhe disse? - perguntava Lisbon, a incentivando a falar.
- Ele disse que precisamos sair desse lado da praia... imediatamente.- revelava ela, com uma voz assustada ao olhar para os dois agentes da CBI







Continua.......

avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sab Out 01, 2011 9:58 pm

Capítulo 4







Na praia
Quase de manhã




Lisbon e Jane caminhavam lado á lado enquanto Kristina... ia logo mais a frente, na tentativa de se comunicar novamente com o espírito do piloto que havia falecido no acidente.

- O que foi Lisbon? - perguntava Jane, um pouco preocupado.
- Nada... - respondia ela de imediato.

Patrick olhava para ela de forma insistente.

- Só estou com dor de cabeça. - dizia Lisbon, com uma expressão carrancuda.
- Deve ser de não comer direito, devia ter jantado conosco.
- Eu estava mesmo sem fome Jane... e além do mais, comi aquele pedaço de peixe que guardou para mim. - comentava Lisbon, que parava de andar logo em seguida.

- Lisbon? - chamava Patrick, um pouco apreensivo.
- Não foi nada. - dizia ela, colocando uma das mãos na cabeça.
- Talvez devessemos parar um pouco e...
- Não, vamos continuar... - insistia Lisbon, voltando a andar.

Patrick balançava a cabeça em forma negativa, mas antes que pudesse dizer algo... via Lisbon literalmente tombando a sua frente.

- Lisbon? Lisbon? - chamava ele, enquanto a apoiava ainda sentada na areia.
- Ai! - resmungava Lisbon, colocando as duas mãos na cabeça.
- Kristina, precisamos parar. - gritava Jane, fazendo com que Lisbon fizesse uma careta.

Kristina se virava e ficava um pouco agoniada ao ver Lisbon nos braços de Patrick.

- O que aconteceu? - perguntava a vidente, que se aproximava deles lentamente.
- Não é nada, só uma dorzinha chata. - resmungava Lisbon, enquanto tentava se levantar.

Jane a auxiliava com cuidado.

- Eu estou bem Jane, pode me soltar. - dizia ela um pouco agressiva, não gostava de bancar a " donzela indefesa ".
- Você está péssima. - observava Kristina, em um tom de crítica.
- Eu já disse... estou bem e... - Lisbon parava de falar assim que sentia uma outra tontura.

Em poucos segundos ela desmaiava nos braços de Jane.

- Lisbon? Lisbon? - chamava ele, sem obter resposta.

Patrick e Kristina trocavam um olhar preocupado.
Gentilmente Patrick segurava a pequenina agente em seus braços... a carregando com todo o cuidado enquanto caminhavam pela praia.

Já Kristina, seguia logo atrás deles, aborrecida com o que via.
A vidente sabia que precisava agir rápido, para que não houvesse a possibilidade de perder a chance de conquistar o sofrido coração de Patrick Jane.



Algumas horas depois



Lisbon começava a abrir os olhos, e então se via deitava na areia.
Ao olhar para os lados, pôde perceber que eles já estavam quase no outro lado da praia.

- Ai!... - resmungava ela, ao se sentar na areia.

Lisbon colocava as mãos na testa e ao erguer a cabeça... via Kristina logo a sua frente.
Com um pouco de dificuldade Lisbon se levantava, indo com calma até a vidente.

- Como se sente? - perguntava Kristina, que estava dentro da água molhando seus pés.
- Um pouco melhor, mas minha cabeça está latejando. Cadê o Jane? - perguntava ela, enquanto olhava em várias direções.
- Ele decidiu caminhar um pouco mais, para ver se descobria alguma coisa... por causa da mensagem que recebi do piloto.
- Hun! Ele deve estar se mordendo por ter que seguir os seus palpites. - dizia Lisbon, com um fraco sorriso.
- Até que não, ele me pareceu bem disposto a isso. - comentava Kristina, olhando para Lisbon com um olhar vitorioso.

Lisbon imediatamente percebia o tom de provocação na voz dela, e isso deixava a agente mais séria.

- Mas é bom que ele tenha nos deixado a sós.- dizia Kristina, que ia para a beira da água enquanto encarava Lisbon.
- Por que? - perguntava a agente da CBI, com uma expressão confusa.
- Você sabe o porque agente Lisbon.
- Não tenho idéia do que esta falando. - dizia Lisbon irritada, que voltava a caminhar logo em seguida.
- Eu estou apaixonada pelo Patrick. - confessava Kristina, de uma forma direta.

Lisbon imediatamente parava de andar, e se virava para encarar a vidente.

- Boa sorte para você Kristina... - dizia ela, em um tom debochado.

Kristina a olhava sério, dando mais alguns passos a frente.

- Eu sei que posso faze-lo feliz... se não me atrapalhar.
- Como é que é? - perguntava Lisbon com uma risada amarga, completamente indignada com o que ouvia.
- Isso mesmo que você ouviu, eu creio que essa queda não foi por acaso. - insistia a vidente.
- O que esta querendo dizer? Que o acidente foi um sinal divino para que você conseguisse se aproximar do Jane? Me polpe. - comentava Lisbon, se irritando ainda mais.
- Não me atrapalhe agente Lisbon. - dizia Kristina com uma voz firme.
- Escute aqui... eu não tenho o menor interesse em estragar sua relação romântica com o Jane... - dizia Lisbon, fazendo aspas com as mãos em irônia.
- Deus... você nem sabe mentir, esta claro feito água que você é apaixonada por ele. O próprio Patrick já percebeu isso. - comentava Kristina, em um tom raivoso.
- Escute aqui sua... vidente de araque... - gritava Lisbon, apontando o dedo para ela.
- Me chamou de... vidente de araque? - perguntava Kristina, explodindo de ódio.
- É... vidente de araque. Eu não estou, nunca estive e nunca estarei apaixonada pelo Jane. Ele é chato, impertinente, não obedece ordens e a única coisa que sabe fazer... é me dar problemas.
- Que desculpa mais esfarrapada. Nunca ouviu dizer que os opostos se atraem? Se não sente nada por ele então me diga... por que todo esse ciúme quando ele e eu estamos juntinhos? - perguntava Kristina, que cruzava os braços em frente ao peito com uma expressão muito séria.
- Eu não estou com ciúmes. - dizia Lisbon, que cerrava os dentes enquanto se aproximava ainda mais dela.

As duas ficavam se encarando, estavam separadas por apenas poucos centímetros.

- Hey! - gritava Jane, que se aproximava das duas com um sorriso sedutor.

Lisbon e Kristina recuavam alguns passos, enquanto Jane... ficava entre elas.

- Podemos andar um pouco mais, encontrei uma pequena vegetação e também uma " carcaça " de um antigo caminhão. - revelava ele alegremente.
- Isso não vai nos ser muito útil. - resmungava Lisbon, enquanto encarava Jane com seriedade.
- Eu acho ótimo - dizia Kristina, se aproximando de Patrick ainda mais.

Lisbon morde o lábio inferior com raiva ao ver Kristina tão perto dele.
A vidente no entanto sorri falsamente para a " rival "

- Na verdade a pequena vetegação pode nos ajudar com a questão da água, e o caminhão poderá nos abrigar... - dizia Jane, que dava uma leve piscada á Lisbon.
- Então... vamos logo. - dizia Lisbon aborrecida, já começando a andar.

Patrick a observava, Lisbon parecia muito agoniada... mas do que o natural.
E isso, o deixou intrigado. Ele sorria ao pensar que Lisbon estava a beira de um ataque por causa dele e de Kristina.

- Sabe de uma coisa? Você parece estar bem melhor.
- Jane... não enche. - gritava ela, enquanto caminhava.
- Viu? Essa é a Lisbon rabugenta de sempre. - comentava ele, em um tom divertido.
- Ha... ha... ha. Vamos logo. - dizia Lisbon, fingindo uma risada ao falar com ele em um tom irônico.

Patrick sorria ao ve-la um pouco melhor, mas ainda se preocupava com as dores que ela parecia sentir.
Pois enquanto caminhava, Lisbon colocava as maos sob a cabeça por diversas vezes.

- Ela está bem. Não se preocupe. - dizia Kristina, tocando no braço dele com carinho.

Patrick sorria para a vidente.

- Hey!... Ela é uma mulher forte, e já passou por coisas mais tensas. Creio que os desmaios e as dores de cabeça devam ser só do esgotamento e do sol forte... - dizia ela, com uma voz suave.

Jane balançava a cabeça em forma positiva, mas ao perceber que Lisbon olhava para trás... o consultor se prendia ao braço direito da vidente enquanto caminhavam. Já Lisbon devido ao nervoso ao ve-los daquela forma... acabava tropeçando na areia, mas conseguindo de equilibrar antes que fosse ao chão.

- Estou bem... - dizia ela, ao olhar na direção do casal.

Patrick a olhava com carinho, enquanto Kristina ria da agente da CBI.
Lisbon tentava manter a pose enquanto continuava a caminhar, Patrick no entanto não conseguia parar de olhar para ela.

- Hey irritadinha, espere por nós. - gritava Patrick em meio á risos.







Continua.......
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sab Out 01, 2011 10:01 pm

Capítulo 5







Já no outro lado da praia



Kristina e Patrick ajeitavam a carcaça do caminhão para poderem passar a noite alí.
Já Lisbon estava a beira do mar, ela colocava as mãos sob a testa para tentar enxergar um pouco melhor o horizonte.

- Droga... - resmungava ela, já que não via sinal de helicópteros ou aviões vindo atrás deles.
- Hey irritadinha? Por que não vem descansar um pouco. - dizia Jane, que já saia do veículo.
- Estou bem Jane. - comentava Lisbon, em um tom arrogante.

Patrick ficava olhando para ela enquanto se aproximava lentamente.

- O que foi? - perguntava Lisbon, enquanto ele parava a sua frente com um sorriso sedutor.
- Sair desse sol vai diminuir suas dores de cabeça.
- Eu não estou... - resmungava Lisbon, enquanto fechava os olhos ao sentir sua cabeça latejando novamente.
- Não esta é? - perguntava Jane, enquanto tocava delicadamente em sua testa.
- Quer tirar a mão? - resmungava Lisbon, enquanto lhe dava um pequeno tapinha por cima dos dedos.
- Você esta com febre, precisa se aquietar um pouco.
- Só vou me aquietar quando vir alguém chegando.
- E o que vai fazer enquanto isso? Ficar torrando nesse sol como se fosse um espantalho? - perguntava Patrick fazendo um bico.

Lisbon o olhava sério...

- Patrick? O que acha de procurarmos algo para comer? - dizia Kristina, que já se aproximava deles.
- " O que acha de procurarmos algo para comer? "... - resmungava Lisbon, enquanto fazia uma careta ao imitar Kristina.

Patrick deixava escapar uma pequena risada, enquanto Lisbon o olhava de forma irritada... já bufando.
Ele erguia as mãos para cima, como se quizesse se desculpar....

- Vocês podem ir, eu vou... lá para dentro. - dizia Lisbon, enquanto seguia marchando até o caminhão.
- Vamos? - perguntava Kristina ao consultor, toda sorridente.
- Vamos sim, assim ela pode ficar mais a vontade. - dizia Jane, em um tom brincalhão.

Mas enquanto Patrick e Kristina andavam e conversavam, ele virava para trás por diversas vezes para poder observar Lisbon.
Através de um dos buracos que havia no veículo, ele se tranquilizava ao ver que ela se ajeitava para dormir.



Já em um antigo farol



Após procurarem sinais de sua equipe sem sucesso, Hightower e seus agentes foram comunicados por um guarda que, ele havia recebido a informação de um acidente envolvendo uma aeronave em uma praia... que ficava a algumas horas do local de onde estavam.

- Essa praia? Onde fica? - perguntava a chefe da CBI.
- A umas 6 horas daqui. comentava o guarda responsável pelo farol.
- Tomara que sejam eles. - dizia Rigsby, muito nervoso enquanto coçava o queixo.
- Só que há mais uma coisa. - comentava o guarda.
- O que? - perguntavam Cho e Van Pelt ao mesmo tempo.
- Meu amigo que comunicou o incidente... me disse que viu sinais de fumaça no local e... também houve uma grande explosão.

Hightower baixava a cabeça, com muito medo de que o pior tivesse acontecido...

- Não, eles não estão mortos... - dizia Van Pelt, enquanto abraçava seu próprio corpo.
- Precisamos ir até lá... - dizia Hightower, que olhava diretamente para o guarda.
- Esta certo, pedirei as cordenadas do local mas... terão que esperar para verificarem. Recebi um comunicado de que haverá uma forte tempestade devido ao calor... então vão ter que ser pacientes. - dizia o guarda, que já ia até o seu rádio comunicador.
- Não se preocupem... vamos salva-los. - dizia Hightower enquanto olhava para seus agentes.

Eles faziam um sinal de afirmativo com a cabeça, e em seguida... iam até o guarda esperando que ele conseguisse a localização exata do acidente.



De volta a praia



Algumas horas haviam se passado.
Patrick e Kristina fizeram uma fogueira novamente, para poderem assar os peixes que haviam pego.
O consultor pegou alguns restos de objetos do caminhão, os lavou e os prendeu junto com a pequena vegetação que havia ali, para poderem coletar um pouco de água caso chovesse....

- Vou ver como Lisbon está. - comentava Jane enquanto andava em direção ao caminhão.

Kristina um pouco chateada, o observava atentamente.

- Lisbon? - chamava Patrick, a medida que entrava no veículo.

Ela não lhe respondia, com isso Patrick se aproximava ainda mais dela.
O consultor se ajoelhava ao lado de Lisbon, sorria enquanto a via dormir em um canto do chão... toda encolhida.

- Nossa... você ainda está com febre. - dizia ele a si mesmo enquanto tocava a testa dela.

Ele pegava seu casaco que estava próximo deles, e o colocava sobre Lisbon com cuidado.
A agente resmungava algumas coisas, mais ainda estava inconsciente....

- Você vai ficar bem, saíremos logo daqui... - dizia ele, enquanto retirava uma parte do cabelo dela que estava colada ao rosto... devido ao suor frio.

Patrick suspirava ao ve-la mais relaxada, sorria ao lembrar dos ciúmes que ela estava sentindo dele.
Lentamente o consultor se inclinava sob ela, ficando a poucos centímetros de seu ouvido.

- Não se preocupe, eu não tenho o menor interesse em Kristina... até porque, acho que meu coração voltou a bater por uma outra pessoa.... você. - sussurrava ele, enquanto encostava seus lábios com suavidade no pescoço dela.

Mas ele então recuava ao ver que Lisbon se encolhia ainda mais em seu casaco.
Com calma ele se afastava lentamente para não acorda-la.

- Patrick? Patrick? - gritava Kristina no lado de fora, parecia muito assustada.

Jane rapidamente corria até ela, e então via a vidente olhando para o mar.

- O que foi? - perguntava ele, enquanto segurava um de seus braços.
- Ele esta aqui... o piloto. - confessava ela, enquanto olhava em seus olhos.
- Kristina.... - resmungava ele aborrecido.
- Patrick? Isso é sério.... sei que não acredita muito em mim, mesmo eu dando provas sobre o meu dom, mas... o piloto está tentando nos avisar sobre um grande perigo.
- Que perigo? - perguntava ele, cheio de dúvidas.
- Uma forte tempestade esta chegando..
- Ah! Que isso... - dizia Patrick, enquanto colocava as mãos na cintura.
- É sério, se você não acredita... - dizia ela furiosa enquanto pegava o peixe, apagava o fogo e... ia para dentro do caminhão.

Jane olhava para todos os lados de forma confusa, mas então ele acabava percebendo que logo mais adiante... estavam se formado grandes nuvens pretas.

- Oh! Oh! - resmungava ele, enquanto corria para dentro do caminhão.

Assim que ele entrava no veículo, Kristina o olhava seriamente... sentindo vitoriosa.
Patrick no entanto sorria um pouco sem jeito por duvidar dela.

- Hey! O que está acontecendo? - perguntava Lisbon, que dispertava com toda aquela agitação.
- Há uma tempestade se formando. - comentava Kristina, muito nervosa.
- O que? Era só o que faltava. - resmungava Lisbon, que olhava para o lado de fora através de um dos buracos na lateral do caminhão.
- É... acho que nos três teremos que passar algum tempinho aqui dentro... juntinhos - dizia Jane, enquanto fazia uma careta engraçada.

Lisbon e Kristina se encaravam seriamente, visivelmente odiando aquela idéia.

- Ótimo.... - resmungavam as duas ao mesmo tempo.

Jane sorria ao ver a tensão entre as duas aumentar ainda mais.

- Isso vai ser divertido... - dizia ele a si mesmo enquanto colocava as mãos na boca, afim não deixar escapar uma risada.







Continua...........
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sab Out 01, 2011 10:03 pm

Capítulo 6







Na praia



Lisbon, Jane e Kristina estavam lado á lado enquanto olhavam para o lado de fora do caminhão.
Eles estavam preocupados, pois viam a chuva engrossar cada vez mais.

- Ah! Odeio trovões... - dizia Lisbon, que já tapava os ouvidos assim que ouvia um forte estrondo.
- Também não gosto... - comentava Kristina, enquanto sentia um leve tremor percorrer seu corpo.

Jane olhava para as duas, e antes que pudesse falar algo... Lisbon já se afastava lentamente.

- Não se preocupe Kristina, tenho certeza que vai passar logo. - comentava Jane, enquanto tocava o ombro dela de forma gentil.
- Obrigada Patrick, sabe... você tem o dom de acalmar a gente. - dizia Kristina, já pegando na mão dele.

Lisbon bufava de raiva ao ver a cena, rapidamente ela se aproximava de um dos buracos da lateral do caminhão.

- Os coletores de água.. comentava ela, ao ver a " engenhoca " que Jane tinha preparado para que pudessem pegar a água da chuva.

Sem pensar duas vezes Lisbon pulava pelo buraco, indo em direção aos coletores.

- Lisbon? Espere... - gritava Jane, que já corria atrás dela.
- O que foi? - perguntava Lisbon, se virando rapidamente assim que ele segurava seu braço.
- O que pensa que esta fazendo? - perguntava Jane, tão encharcado de água quanto ela.
- Eu vou buscar água... - dizia ela, mostrando a ele com as mãos que os objetos que Jane havia usado para pegar água, estavam cheios e quase caindo ao chão.
- Deixa que eu vou. - dizia ele preocupado, ao ve-la pingando dos pés a cabeça.
- Jane...
- Por favor Lisbon, volte lá para dentro. - pedia ele com carinho.

Lisbon abria a boca para protestar, mas quando Jane lhe mostrava aquele sorrisão...
Não tinha como discutir, meio contrariada ela voltava para dentro do caminhão.
Kristina no entanto, via Jane correr com uma certa dificuldade até os coletores de água.

- Droga... - resmungava Lisbon, enquanto passava as mãos pelo seu corpo... na tentativa de tirar um pouco da água que havia sob ela.
- Você tinha que fazer isso né? Não se aguenta não é mesmo? - perguntava Kristina de forma arrogante, a medida que se aproximava da agente da CBI.
- Do que você esta falando? - perguntava Lisbon, literalmente espremendo suas roupas.
- Do Patrick. Você está fazendo de um tudo para chamar a atenção dele, primeiro o mal estar... agora essa corrida heróica até a nossa água. - comentava a vidente com desdém.
- Você esta pirando. É quer saber o que eu acho? - perguntava Lisbon muito irritada.
- O que? - rebatia Kristina, se aproximando ainda mais da oponente.
- Que você esta morrendo de medo.
- Medo? De você? Hahahaha. Não me faça rir. - dizia a vidente, rindo de forma nervosa.
- Você está apavorada com a idéia do Jane não corresponder aos seus sentimentos, e como ele é sempre tão protetor comigo... - dizia Lisbon, se vangloriando.
- Último aviso agente Lisbon. Saía do meu caminho.
- E se eu não sair? Vai fazer o que? - perguntava Lisbon, aproximando ainda mais seu rosto do dela.

Elas se encaravam com muita raiva....

- Eu vou acabar com você. Nem que seje a última coisa que eu faça em minha vida. - dizia Kristina, com os dentes cerrados.
- É mesmo. Quero ver você tentar. - dizia Lisbon, já a empurrando com uma certa força.

Kristina não se contem, e em seguida partia para cima de Lisbon.
As duas caiam no chão, puxando o cabelo uma da outra.

- Sua nanica de uma figa. - dizia Kristina, que estava em cima de Lisbon... tentando lhe acertar um soco.

Lisbon era mais rápida, além de conseguir fugir do golpe... ela acertava um soco nas costelas da Kristina, fazendo com que ela caísse para o lado.

- Você vai ter o que merece, sua vidente sem sal... - resmungava Lisbon enquanto ficava por cima de Kristina, empurrando os braços dela contra o chão bruto do veículo.

De repente as duas ouviam gritos de Patrick, que chamava por elas de forma insistente.
Lisbon soltava Kristina de uma forma brusca enquanto se levantava, e tentava alinhar suas roupas.
A vidente fazia o mesmo logo em seguida.

- Isso ainda não acabou. - ameaçava Lisbon, enquanto se virava e ia para um dos buracos que havia no caminhão.

Kristina não parecia se importar muito com aquele aviso....

- O que foi Jane? - gritava Lisbon, enquanto ele corria em sua direção.
- Precisamos cobrir esses buracos, a coisa esta ficando muito feia. A maré esta aumentando e as ondas estão fortíssimas. - comentava Patrick, enquanto lhe entregava os coletores de água.

Jane entrava rapidamente no veículo. Ele então tirava um pouco da água de seu corpo... e após sacudir os cabelos, ele voltava a sua atenção para duas mulheres a sua frente.

- Aconteceu alguma coisa enquanto eu estive fora? - perguntava ele em um tom debochado, a medida que encarava as duas mulheres que estavam lado á lado.
- Não... - respondiam elas ao mesmo tempo enquanto olhavam para ele.
- Estranho, se eu não conhecesse bem vocês duas... - resmungava ele com um olhar curioso.

Lisbon e Kristina permaneciam sérias enquanto olhavam para ele....

- Quero dizer, pela forma como estão desajeitadas... e esses vermelhões espalhados pelo seus rostos e braços... eu podia jurar que vocês duas " sairam no tapa ", digo...literalmente. - dizia ele de uma forma engraçada.
- Hahahaha. - gargalhava Kristina, um pouco nervosa.
- Até parece... que idéia mais rídicula. - dizia Lisbon, indo procurar alguma coisa que eles pudessem usar para tapar os buracos daquele caminhão.
- Isso seria totalmente insano de nossa parte. - dizia Kristina, enquanto seguia até os coletores de água.
- Ok então... vamos, temos muito trabalho á fazer. Precisamos cobrir esses buracos da melhor forma possível. - dizia Jane, ainda meio desconfiado enquanto ajudava Lisbon.

Lisbon sorria discretamente para Kristina de forma vitoriosa.
Já a vidente, mantinha seus olhos bem abertos no " casal ".
Não deixaria Lisbon estragar seus planos, não mesmo....



No farol



Enquanto Hightower e Cho conversavam com o guarda, enquanto Van Pelt e Rigsby estavam olhando para o lado de fora do farol.

- Nossa, essa tempestade está forte demais. - dizia Van Pelt, olhando discretamente para seu ex-namorado.
- É, também estou preocupado. - comentava o agente enquanto baixava a cabeça.
- O que faremos se eles....
- Shhhh! Não diga isso. - Rigsby a interrompia, colocando seus dedos sob os lábios dela com suavidade.

Os dois agentes trocavam um olhar cheio de cumplicidade...
Mas eles são interrompidos com uma mensagem de rádio sendo recebida pelo guarda do farol.

- Pode falar Matty, estou ouvindo. - dizia o guarda.
- John... eu tenho uma informação.... importante...

Hightower e seus agentes se entre-olhavam ao perceberem que havia falhas durante a comunicação.
Van Pelt e Rigsby corriam até eles....

- Pode falar, estou ouvindo. - comentava o guarda
- Consegui o local exato da queda... - revelava Matty.

Os agentes da CBI se abraçavam emocionados, enquanto o guarda anotava as coordenadas.

- Obrigado Matty, te devo uma. - dizia o guarda.
- Ah! Eu vou cobrar... - dizia o amigo, de uma forma engraçada.

O guarda desligava o rádio enquanto passava o local exato do acidente para Hightower.

- Obrigada. - dizia a chefe da CBI.

O guarda sorria de uma forma insistente para ela, deixando Hightower um pouco sem graça.
Van Pent, Cho e Rigsby trocavam um pequeno olhar, tentando não rir da situação.

- Bem... venham comigo. Vamos tomar um café enquanto esperamos a tempestade passar... - dizia o guarda enquanto ia na frente, gesticulando para que seus convidados o seguissem.



De volta a praia



Kristina havia adormecido em um canto do caminhão, Jane observava a chuva através de um pequeno vidro, enquanto Lisbon... estava bebendo um pouco de água.

- Essa chuva que não passa. - comentava Lisbon aborrecida.
- Paciência minha cara Lisbon, paciência... - dizia Jane, que sorria enquanto ainda olhava para fora.
- Minha paciência já se foi a tempos... - resmungava ela a medida que se aproximava dele.

Jane sorria ao senti-la ao seu lado.

- Devia durmir mais um pouco.
- Não consigo.
- Mas conseguiu antes. - dizia ele, em um tom zombeteiro.

Lisbon suspirava enquanto balançava a cabeça em forma negativa.

- É... consegui, e até sonhei.... - comentava ela, com uma voz bem baixinha.

Jane olhava discretamente para ela, e a via sorrindo enquanto fechava os olhos.

- E como era?
- Era? O que? - perguntava ela, ainda de olhos fechados.
- O sonho? O que te deixou com essa expressão feliz.

Lisbon abria seus olhos imediatamente, o encarando com rapidez.
Jane não conseguia conter um sorriso, ele tinha certeza que o contrangimento que ela estava sentindo, era possívelmente por causa da pequena " confissão " que ele havia lhe feito enquanto a agente dormia....

- O que aconteceu de tão bom nesse sonho? - perguntava ele, que lentamente se inclinava sob o rosto dela.
- Nada... absolutamente nada. - dizia Lisbon, que engolia em seco.

Jane deixava escapar uma pequena risada enquanto seus rostos se aproximavam ainda mais....

- Você está mentido. Vai me contar o que tinha tão de especial nesse seu sonho ou... terei que descobrir por conta própria? - perguntava ele enquanto inclinava seus lábios sob os dela devagar.

Lisbon sentia seu coração disparar e seu corpo estremecer.
Eles estavam prestes a se beijar.......






Continua.........
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sab Out 01, 2011 10:05 pm

Capítulo 7







Na praia



Jane podia sentir a tensão em Lisbon aflorar ainda mais.
Após um sorrizinho cínico e perceber que ela havia fechado os olhos, o consultor tocava seus lábios aos dela devagar.
Lisbon não teve nem tempo de pensar, ao sentir os lábios dele aos seus... a agente da CBI elevava suas duas mãos ao pescoço dele, aumentando ainda mais a intensidade daqueles beijos.

Patrick deslizava suas mãos pelas costas dela com leveza, parando uma delas na cintura de Lisbon enquanto a outra segurava a nuca dela com cuidado.
Após um longo e delicioso beijo, Patrick afastava sua boca da dela por alguns centímetros.
Lisbon tentava se manter em pé, já que respirava profundamente enquanto soltava um pequeno sorriso.

- Uau! Valeu a pena esperar tanto. - confessava Jane, com uma voz sedutora.

Lisbon rapidamente abria os olhos.
Ela encarava Jane com firmesa ao ve-lo de braços cruzados, com um sorriso triunfante no rosto.

- Oh! Oh! - resmungava Jane enquanto fazia um bico, vendo que a chefe estava com uma expressão muito séria.
- Seu... - dizia ela furiosa.
- Lisbon, tenha calma. - recomendava ele, enquanto dava alguns passos para trás.
- Calma? Como eu posso ter calma.... você me... me... - gritava ela, enquanto gesticulava com as mãos de forma nervosa.
- Beijou? - perguntava ele, com uma expressão engraçada.
- Eu vou matar você. - avisava Lisbon, enquanto corria atrás dele... ainda dentro do caminhão.
- Vai nada, admita... você gostou e muito daquele beijo - dizia ele, já sendo encurralado em um canto.
- Seu desgraçado presunçoso... - gritava ela, enquanto fechava o punho da mão direita.
- Hey! Vocês enlouqueceram? - perguntava Kristina, que já se levantava e ficava no meio do caminhão.

Jane rapidamente saía de perto de Lisbon, ficando exatamente atrás de Kristina.

- Jane... o que houve? - perguntava a vidente, de uma forma confusa.
- Vamos " Jane ", conte á ela o que fez. - dizia Lisbon, de uma forma debochada.

Kristina via que Lisbon estava mesmo uma fera e então voltava a sua atenção ao consultor.

- Bem, eu.... - murmurava Jane, enquanto olhava para seus próprios pés.

A vidente no entanto fechava seus olhos, parecia estar se concentrando em uma outra coisa.
Ela dava alguns passos até uma grande abertura, que eles usavam para entrar e sair no veículo.
Jane a acompanhava com olhar, Lisbon no entanto aproveitava da distração dele para se aproximar.

- O que... - resmungava Jane, ao sentir um toque em seus ombros.

Já se virando, ele via Lisbon sorrindo com sarcasmo antes de lhe dar um tremendo soco de direita.
Jane cambeleava por cima de algumas coisas, caindo no chão logo em seguida.

- Nunca mais... nunca mais me beije, entendeu? - ordenava Lisbon, enquanto mostrava seu punho á ele.
- Nunca? - perguntava ele debochado.

Lisbon ameaçava ir para cima dele para lhe dar um outro soco, mas Jane erguia as mãos para cima... na tentativa de acalma-la.

- Cretino miserável... - resmungava Lisbon, enquanto voltava a sua atenção para um dos recepientes com água.

Jane sorria enquanto se sentava, ele via Lisbon bebendo um pouco de água... mas, ainda muito nervosa.
O consultor podia ouvir seus resmungos, devagar ele se levantava... massageando o rosto onde ela havia lhe batido.

- Vou passar trabalho para domar essa fera. - dizia ele a si mesmo, já fazendo uma pequena careta.
- O que você disse? - perguntava Lisbon, muito irada com o que ouvia.

Ela ameaçava jogar o recepiente com água em cima dele.

- Nem pense nisso, temos pouca água. Precisamos polpar... - dizia ele, de forma brincalhona.

Lisbon iria retruca-lo, mas desistia ao ver Kristina se aproximando de Jane.
A vidente se posicionava bem ao lado dele.

- O que foi? - perguntava Patrick, em um tom preocupado.
- Recebi uma nova mensagem do piloto. Iremos ser resgatados em breve... - dizia ela, enquanto olhava emocionada ao Jane.
- Maravilha. Não era sem tempo... - resmungava Lisbon enquanto ia á uma das janelas do caminhão, para que pudesse olhar a chuva que ainda caía forte lá fora.
- Só isso? - retrucava Patrick, enquanto olhava nos olhos de Kristina.
- Ele me disse que sua equipe está vindo nos resgatar.
- Hun! Isso me parece um tanto óbvio. - dizia Jane, com um ar duvidoso.
- Por que você insiste em fazer isso? - perguntava Kristina, enquanto o encarava seriamente.
- O que? - indagava Jane, em uma forma despreocupada.

Mesmo olhando para o lado de fora, Lisbon mantinha seus ouvidos atentos para poder escutar a conversa entre Jane e Kristina.

- Eu já lhe disse diversas vezes que meu dom é real, por que insiste em debochar de... - Kristina parava de falar enquanto sentia uma breve tontura.
- Você está bem? - perguntava Jane, assim que a segurava em seus braços.
- Agora estou. Nossa, não tinha reparado... seus braços são tão fortes. - dizia ela, enquanto deslizava sua mão direita por um dos braços dele.

Rapidamente Lisbon virava seu corpo, encarando os dois com raiva....
Jane olhava para a chefe, e sorria ao ve-la literalmente roxa de ciúmes.

- Ai! Meu Deus... - dizia Kristina, ainda nos braços de Patrick.

Patrick e Lisbon olhavam na mesma direção que a vidente, e os três viam fortes raios caindo próximo ao caminhão em que estavam abrigados.

- É melhor Rightower e os outros se apressarem... - dizia Jane em um tom preocupado, enquanto olhava para Lisbon e Kristina.



Enquanto isso....
No farol




Hightower e sua equipe aproveitaram uma pequena brecha na chuva para poderem organizarem o resgate de Jane, Lisbon e Kristina.

- Esta tudo pronto senhora. - dizia um de seus oficiais, que já se aproximava dela.
- Obrigada. Cho? Rigsby? Van Pelt? - chamava a chefe, enquanto gesticulava com as mãos.

Os três agentes seguiam rapidamente até ela...

- Vamos? - perguntava Van Pelt, que já se dirigia ao helicóptero.
- Espere... - dizia a chefe, enquanto segurava o seu braço.
- Como o tempo não está muito favorável, vamos nos dividir. Dois de nós irão nos helicópteros para seguirmos as coordenadas que o guarda nos passou, os outros dois ficarão aqui com o restante dos agentes, no caso de... acontecer algo com nossas aeronaves. - recomendava a chefe da unidade.
- Mas... eu...
- Eu gostaria que você ficasse aqui com o agente Cho.... enquanto eu vou em um helicóptero e Rigsby no outro. - dizia Hightower, enquanto olhava seriamente para eles.
- Certo chefe. - dizia Cho, com muita tranquilidade.

Rigsby apenas fazia um sinal de afirmativo com a cabeça.

- Grace... eu sei o quanto que ir, mas... preciso que confie em mim. Se algo me acontecer, você e Cho estaram no comando. - dizia Hightower, enquanto tocava em seu ombro.
- Esta certo, eu fico com o Cho. - dizia a agente, enquanto baixava a cabeça.

Hightower se despedia deles, e em seguida já entrava em um dos helicópteros.

- Não se preocupe, tudo vai acabar bem. - dizia Rigsby, enquanto beijava o rosto dela rapidamente e acenava para Cho.

Van Pelt observava Rigsby entrar na aeronave.
Cho andava até ela, e já ficava ao seu lado.

- Vamos.... precisamos entrar e ficar perto do rádio comunicador. - dizia Cho, enquanto prendia o seu braço ao de Grace... a levando de volta para dentro do farol.



De volta a praia



Kristina e Patrick estavam sentados lado a lado ao fundo do caminhão.
Já Lisbon, andava de um lado para o outro... muito nervosa com aquele temporal.

- Esta melhor? - perguntava Patrick, enquanto estava com Kristina apoiada em seu ombro.
- Estou. Mas ficaria melhor se pudessemos beber um bom chá quente.
- Oh! Nem me fale... - dizia Jane, dando um pequeno sorriso á ela.

Kristina o olhava com carinho, pegando a mão dele e beijando sua palma.
Patrick estava surpreso com o gesto, já Lisbon... ficava literalmente de " boca aberta " ao ver a petulância da vidente.

- Ah! Para mim chega... - dizia Lisbon, que já saía de dentro do veículo.
- Lisbon? Lisbon? - gritava Patrick, já correndo atrás dela no meio da chuva.

Kristina corria até a entrada do veículo, e se ajoelhava ao chão muito chatedada.
Ela via quando Patrick tentava convencer Lisbon a voltar para dentro do caminhão.

- Você quer me deixar em paz Jane? - dizia Lisbon, caminhando com dificuldades pela areia enxarcada.
- Volte lá para dentro, agora mesmo. - argumentava ele, em um tom de ordem.

Lisbon se virava furiosa, e o encarava seriamente....

- Quem você pensa que é para me dar ordens? A chefe aqui sou eu... será que se esqueceu disso? - gritava ela, enquanto tirava os cabelos molhados do rosto.
- Você quer saber quem eu sou? Vou dizer... eu sou o homem que ama você... e que fará de um tudo para te tirar daqui, nem que eu morra tentando fazer isso. - gritava ele firmemente.







Continua............
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sab Out 01, 2011 10:06 pm

Capítulo 8







Na praia


Patrick e Lisbon continuavam no meio da tempestade.
A agente da CBI estava literalmente em choque com o que acabava de ouvir... tanto que ela abria a boca por algumas vezes, sem conseguir falar absolutamente nada...

- Por que está tão assustada? O que acabei de lhe dizer não é nenhuma tragédia, ou o fim do mundo... - resmungava ele, enquanto mexia a cabeça de forma singela e arregalava os olhos.
- É... você... eu...
- Nós... - continuava Jane, de uma forma engraçada.
- Não existe nós Jane... você não pode estar apaixonado por mim...
- Por que não? Acho que sou bem grandinho para saber o que sinto. - dizia ele em tom de provocação.
- Porque você....
- Porque eu? Continua.... vamos, jogue tudo para fora. - dizia ele, gesticulando com as mãos fazendo graça.
- Porque você não consegue esquecer sua ex-esposa, sem contar que você e a aquela... vidente tem mais em comum do que nós dois...e... - desabafava Lisbon um tanto nervosa, enquanto puxava os cabelos molhados para trás da orelhas.
- Uou! Uou! Uou! Espera aí... eu nunca disse que era apaixonado pela Kristina, você deduzio isso....
- Dhan! Do jeito que vocês andam todo cheio de carinhos e cuidados um com o outro... o que eu devia pensar? - resmungava ela de uma forma debochada, enquanto fazia diversas caretas.
- Hahahahaha - Jane não se continha, e acabava deixando escapar uma ernorme gargalhada.

Lisbon se irritava enquanto o via se divertir com sua angústia.
Ela então se afastava dele novamente.

- Espera aí irritadinha, não vai fugir de mim... não mesmo. - dizia ele de forma desafiadora, enquanto corria para que pudesse parar na frente dela.
- Sai da minha frente. - ordenava Lisbon, o olhando seriamente.
- E para onde você vai? - perguntava Jane, enquanto colocava as mãos na cintura.
- Para qualquer lugar, longe de você de preferência... - resmungava Lisbon, enquanto tentava se afastar dele.

Mas antes que ela pudesse fazer isso, Patrick a segurava firmemente pelo braço.

- Diga olhando nos meus olhos que não sente nada por mim Lisbon. - pedia ele, com um olhar carinhoso.
- Eu... eu... não sinto nada por você. - dizia ela, enquanto baixava a cabeça rapidamente.
- Trapaceira... não me disse isso olhando nos olhos. - comentava ele, enquanto lhe dava um sorriso maldoso.
- Jane...
- Esta certo, mas não pode negar que gostou daquele beijo. - comentava ele, enquanto a olhava profundamente.
- Eu odiei isso sim... - respondia ela, que se soltava dele bruscamente.
- Mentirosa... não pode esconder nada de mim, eu sei o que se passa por essa sua cabecinha... - dizia ele, a medida que tocava lentamente a testa dela com dois de seus dedos.
- Que parar de me irritar? Vai lá cuidar da sua amiguinha. - dizia ela, enquanto dava um pequeno tapinha nos dedos dele.
- Esta bem, se é isso que você quer... eu vou, mas depois daquele beijo eu tenho certeza... você está loucamente, perdidamente, irremediávelmente apaixonada por mim... - dizia ele com um largo sorriso, enquanto se virava para poder voltar ao caminhão.

Lisbon se enfurecia, e então e corria para cima dele...

- Seu cretino... - resmungava ela, a medida que tentava soca-lo.
- Viu só? Se eu estivesse enganado eu não deixaria voce assim tão nervosa... - rebatia Patrick, enquanto tentava escapar da ira de Lisbon.
- Eu vou socar o seu nariz, juro por Deus... - dizia ela gritando, a medida que tentava alcança-lo.

Jane ria com as tentativas de Lisbon tentar lhe pegar.
Ele então se virava para tentar conversar com ela, mas o casal acabava trombando um no outro.
Os agentes da CBI cambaleavam, em segundos caiam deitados em cima da areia.

- Eu juro.... você me... - gritava Lisbon, enquanto estava por cima dele e lhe dava diversos tapinhas no peito.

Com muita agilidade, Jane conseguia se virar... ficando por cima de Lisbon.
Os dois mantinham seus olhares fixos um no outro. Seus corpos estavam enxarcados com a chuva que não lhes davam uma trégua, a areia da praia grudava em seus corpos cada vez mais....

- Me solta Jane, você vai se arrepender.... - dizia ela furiosa.

Ele apenas sorria enquanto olhava os lábios dela com cobiça.
Lisbon percebia isso, e ficava ainda mais nervosa.

- Você quer sair de cima de mim? - gritava ela.
- Não. - respondia ele de imediato, já lhe roubando um beijo.

Lisbon tentava de desvencilhar dele...
Mas não tinha forças para lutar contra seus sentimentos.
Jane segurava a nuca dela com cuidado enquanto trocavam um longo e apaixonado beijo.

O consultor invertia as posições, deixando ela novamente em cima de si.

- E você ainda tenta negar... - dizia ele sorrindo, enquanto capturava os lábios dela mais uma vez.

Irritada, Lisbon o afastava rapidamente... em seguida lhe dava um tapa no rosto.

- Hey!... - resmungava Jane, com uma expressão confusa.

Mas isso foi tudo o que ele conseguiu dizer, antes que Lisbon o beijasse com fervor.
Ele acariciava as costas dela enquanto trocavam diversos beijos, finalmente Lisbon cedia aos desejos de seu coração.
O casal se beijava apaixonadamente enquanto rolavam tranquilamente pela areia... não se importanto com a chuva forte que continuava a cair.

Eles paravam de rolar assim que Lisbon ficava sob ele.
Patrick e Lisbon não conseguiam separar seus lábios um do outro. A agente se remexia calmamente em cima do corpo de Patrick, nenhum dos dois controlavam mais todo aquele amor e desejo que os consumiam a tanto tempo.

Ao fundo eles não percebiam que Kristina já estava por perto. Ela observava aquela cena de amor entre eles, se sentindo a mais miserável das mulheres... suas mãos se fechavam nervosamente. A vidente sentia as lágrimas correrem pelo seu rosto de forma descontrolada...

- Não... Patrick, eu o amo. - dizia ela a si mesmo em sussurros.

Kristina então começava a andar até a beira do mar.
E ao olhar para as ondas que se formavam devido a tempestade, ela avistava o piloto novamente... que parecia flutuar sob as águas.

- O que voce quer de mim? - sussurrava ela enquanto fechava os olhos, tentando se concentrar para poder receber a mensagem que ele queria lhe dar.

Ao abrir os olhos, Kristina via o piloto apontar para o ceú, mas precisamente ao lado oeste da praia.
A vidente olhava a direção indicada por alguns segundos, e então via o que parecia ser duas aeronaves... logo mais a diante.

- Não acredito.... - dizia ela, enquanto colocava as mãos no coração.

Rapidamente a vidente corria de volta ao caminhão.
Ela então pegava um sinalizador que eles haviam achado no local, e sem pensar duas vezes... se aproximava de uma das aberturas do veículo e o disparava, provocando assim um forte barulho.

Lisbon e Patrick ouviam aquele estrondo rapidamente...

- O que é isso? - perguntava Lisbon ainda em cima de Jane, enquanto os dois viam o rastro de fumaça provocado pelo sinalizador.
- Kristina... - dizia Patrick, que já direcionava o seu olhar á Lisbon.
- Jane... Quer me soltar? - dizia Lisbon, enquanto dava pequenos tapinhas no consultor.

Ela se levantava de uma forma toda atrapalhada, já correndo em direção ao caminhão.
Jane sorria, fazendo o mesmo logo em seguida.

- Só para constar, era você quem estava me segurando... e que não conseguia parar de me beijar. - gritava Patrick, enquanto ria sem parar.

Após alguns metros, Patrick e Lisbon se aproximam do caminhão. E então viam dois helicópteros de aproximando do local.

- Heyyyyyy! gritavam o casal ao mesmo tempo.

Eles sinalizavam com as mãos por alguns minutos.
Mas ao olhar para a parte de dentro do caminhão, Jane via Kristina caída ao chão.

- Jane? - chamava Lisbon, enquanto o via correr para dentro do veículo.

Muito preocupada, a agente seguia logo atrás dele.

- O que houve? - perguntava Lisbon, ficando ao lado de Jane.
- Ela está inconsciente. - afirmava Patrick, que estava ajoelhado ao lado da vidente.

Patrick e Lisbon se entre-olhavam preocupados com o que pudesse ter acontecido com ela.







Continua.............
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sab Out 01, 2011 10:07 pm

Capítulo 9 - Penúltimo







Algum tempo depois



Lisbon estava do lado de fora do caminhão, acenando frenéticamente aos helicópteros.
As aeronaves tinham muita dificuldade para pousar, pois a chuva continuava forte e havia algumas pequenas rajadas de vento...

- Vamos... vamos... - dizia Lisbon a si mesma, torcendo para que eles conseguissem pousar.

Em poucos minutos, os helicópteros consigam chegar a ao chão.
Lisbon sorria aliviada ao ver Rightower e Rigsby saindo das aeronaves.

- Chefe... - dizia Rigsby, a abraçando carinhosamente.

Lisbon ficava um pouco surpresa com o gesto, mas em seguida... o abraçava também.

- Fico contente que esteje bem agente Lisbon. - dizia Hightower, enquanto apertava a mão dela.
- Obrigada senhora. - dizia a agente, com um pequeno sorriso.
- Cadê o Jane? - perguntava Rigsby em um tom preocupado.
- E Kristina? - continuava Hightower.
- Estão lá dentro do caminhão, Kristina esta inconsciente... - relatava Lisbon.

Os três imediatamente corriam para dentro do veículo.

- Jane...
- Oi Rigsby. - dizia ele, em um tom mais tranquilo enquanto via o amigo.
- Como ela está? - perguntava Hightower, se ajoelhando ao lado de Kristina.
- Não sei, ela não acorda. - dizia o consultor, em um tom preocupado.
- Vamos... existe um farol aqui perto onde o resto da equipe está nos esperando. Quem sabe o guarda de lá tenha um kit de primeiros socorros ou algo que nos ajude a acorda-la. - afirmava a chefe da CBI.

Jane fazia um sinal de positivo com a cabeça.
Rigsby então pegava a vidente em seus braços, e a levava rapidamente para a aeronave.

- Como está Patrick?
- Bem. Não precisa se preocupar... - dizia Jane, dando um pequeno sorriso a Hightower.
- Ótimo. Então vamos sair logo daqui. - falava Hightower enquanto ia até a saída.

Lisbon e Patrick trocavam um pequeno olhar carinhoso, e um á um seguiam lentamente atrás de Hightower.



No farol



Grace e Cho estavam de pé, logo atrás do guarda do farol.
Eles estavam próximos ao rádio comunicador, tentando conversar com os pilotos dos helicópteros.
Mas infelizmente não obtinham resposta alguma.

- Meu Deus... será que eles cairam também? - perguntava Van Pelt, a medida que olhava para os dois homens.
- Agente Rigsby? Agente Hightower? Vocês podem nos ouvir? - perguntava o guarda, em um tom apreensivo.
- Nada... - resmungava Van Pelt, muito frustrada.

Cho no entanto, parecia ouvir algo...
Rapidamente ele seguia até á uma das janelas do farol.

- Cho? O que foi? - perguntava Van Pelt
- Eles estão chegando. - dizia ele, enquanto apontava para o ceú.

Van Pelt e o guarda se aproximavam dele...

- Que maravilha... - dizia o guarda.
- Vamos descer, pode ter alguém ferido. - comentava Van Pelt, já indo em direção a escadaria do farol.

Os outros a seguiam imediatamente. Eles desciam as escadas de forma apressada.
Em poucos minutos, chegavam a porta de entrada do farol...

- Vamos.... - dizia o guarda, que já saia a frente dos dois agentes.

Hightower descia do helicóptero acompanhado de Lisbon.
Assim como Rigsby saia da aeronave, e ajudava Patrick e carregar Kristina.

- Chefe? Que bom que está viva. - dizia Van Pelt, enquanto a abraçava totalmente emocionada.
- É muito bom ver você também. - confessava Lisbon, sorrindo mais aliviada.
- Chefe... - dizia Cho, com sua postura séria.
- É bom ver você Cho... - falava Lisbon, enquanto lhe sorria discretamente.

Enquanto Lisbon ficava ao lado de seus oficiais, eles viam quando Jane e Rigsby traziam Kristina ainda desmaiada.
Hightower vinha ao lado do guarda, enquanto lhe fazia algumas perguntas.

- Venham... - dizia o guarda, que segurava a porta para eles passarem.
- O que aconteceu com ela? - perguntava Van Pelt preocupada.
- Não sabemos... ela desmaiou a algum tempo. - respondia Lisbon de imediato.
- Bem, vamos entrar... você e Jane precisam descansar e se alimentarem... - dizia Van Pelt, com uma voz terna.
- Eu estou bem... - continuava Lisbon, tentando tranquiliza-los.
- Mas mesmo assim, é bom sermos cautelosos... pelo menos até um médico avaliar a condição de vocês. - dizia Cho, em um tom carinhoso.
- Está bem, vamos... - dizia Lisbon, que já se prendia aos braços dos dois agentes e seguiam diretamente para dentro do farol.



No dia seguinte



Hightower e sua equipe estavam no hospital.
Eles esperavam Jane e Lisbon, que faziam uma última avaliação com o seu médico.

- Não acredito que tudo isso finalmente acabou... - dizia Van Pelt, enquanto suspirava profundamente.
- Eles parecem bem... - comentava Hightower.
- Tomara que tenha razão. - dizia Rigsby.
- E quanto a Kristina? Ela continua desacordada?
- Na verdade não Cho. - dizia Lisbon, enquanto se aproximava dos agentes.
- Ela acordou? - perguntava Van Pelt, um pouco anciosa.
- Sim... o médico e o Jane estão lá com ela. - dizia Lisbon calmamente.

Apesar de tentar disfarsar, Van Pelt não pôde deixar de notar que havia algo diferente em Lisbon.
Ela parecia chateada com a atenção que Patrick dava a vidente.

- O que o médico disse sobre você e Jane?
- Que estamos bem senhora. Só um pouco esgotados, fisicamente e mentalmente... nada grave.
- Isso é ótimo agente Lisbon. - dizia Rightower, com um largo sorriso.
- Bem... se não se importam, gostaria de ir para minha casa.
- Claro agente Lisbon. - dizia Hightower, com uma voz tranquila.
- Eu levo você...
- Não precisa Van Pelt.
- Mas quero leva-la mesmo assim... - dizia a agente, com um olhar engraçado.

Lisbon dava um pequeno sorriso, e seguia junto a amiga.

- Bem, eu vou voltar a CBI, fiquem aqui e esperem pelo Jane. Se precisarem de algo é só me avisarem... o governador está me esperando.
- Sim senhora.... - diziam Rigsby e Cho ao mesmo tempo.

Hightower sorria para eles, e em seguida ela deixava o local.
Os agentes no entanto se sentavam nas poltronas e esperavam por Jane.



Enquanto isso



Jane estava ao lado da cama de Kristina, segurando a mão dela.
O médico fazia os últimos exames na paciência.

- A senhorita está bem. Foi apenas desgaste e percebi que seu organismo está um pouco fraco, falta de vitaminas. Não é nada grave.
- Tem certeza disso?

Kristina sorria ao ver a preocupação de Patrick com o seu bem estar.

- Tenho sim senhor Jane. Em alguns dias ela poderá voltar para casa. Bem, vou ver outros pacientes... falo com você amanhã. - dizia o médico, enquanto olhava para Kristina.
- Obrigada doutor. - dizia a vidente, com um pequeno sorriso.


O médico se despedia de Jane com um aceno formal antes de deixar a sala...

- Que bom que saímos daquela praia.
- Verdade. Mas você nos deu um tremendo susto Kristina. - dizia Jane, ainda segurando a sua mão.

Kristina colocava sua outra mão sob a dele...

- Fico feliz por estar viva. - dizia ela, com uma voz cansada.
- E eu... estou feliz por você ter avistado os helicópteros e ter mandando aquele sinal á eles... se não fosse por você, possívelmente perderíamos a chance de sermos resgatados.
- Não foi nada, na verdade... você e a agente Lisbon pareciam tão concentrados no que estavam fazendo juntos, que nem perceberam que a ajuda estava a caminho. - dizia ela, com muito pesar.

Jane percebia que ela havia ficado triste ao ve-lo com Lisbon em seus braços.

- Kristina....
- Patrick, eu amo você. Nunca senti nada parecido antes... não há uma chance de nos entendermos? Eu poderia....

Patrick lentamente tirava suas mãos das dela.
Não queria deixa-la ainda mais nervosa, poderia piorar o seu estado de saúde.

- Kristina eu....
- Não tem o que eu não fizesse por você Patrick. - dizia ela, com lágrimas nos olhos.
- Eu sei... eu sei... - comentava ele, suspirando profundamente enquanto baixava a cabeça.
- E então? Será que não poderia ao menos pensar no assunto? Até porque sei que você e a agente Lisbon não podem ter um relacionamente amoroso... é contra as regras da agência. - relatava ela, com um olhar esperançoso.

Patrick a olhava nos olhos, podia ver que a vidente estava sendo sincera quanto aos seus sentimentos.

- Kristina, eu preciso....
- Patrick... por favor... fique comigo... - pedia ela, com as lágrimas já escorrendo pelo seu rosto.

Jane apenas ficava em silêncio, a olhava com carinho enquanto pensava em uma maneira de lhe explicar que não a amava.



Algumas horas depois



Lisbon havia acordado a pouco tempo, terminava de sair do banheiro após tomar um bom e relaxante banho.
Ela vestia apenas um moleton cinza e uma camisete branca, estava descalços enquanto andava pela casa...
Mas cabeça da agente fervilhava em pensamentos, já haviam se passado horas e Patrick não tinha entrado em contato com ela.
Teresa estava começando a achar que ele poderia estar ainda ao lado de Kristina.

- Será que... ele vai ficar com ela? Depois de tudo o que houve na praia? - perguntava a sí mesma, parecia um pouco preocupada enquanto secava os cabelos.

Lisbon ouvia a campainha, e vagarosamente ia até a porta.
Ela jogava a toalha que secava os cabelos sob uma cadeira.

- Oi irritadinha... - dizia Jane com um largo sorriso enquanto ela abria a porta, mantendo suas mãos para trás de seu corpo.
- Jane? Não devia estar no hospital? - comentava ela, a medida que tentava não sorrir por ve-lo a sua frente.
- Eu estava... até agora.
- Claro... - dizia Lisbon, deixando a porta aberta enquanto voltava para a sala.

Jane sorria, e então fechava a porta... e andava lentamente atrás dela.

- Por que não me esperou?
- Achei que tivesse muito ocupado com a Kristina... não quis atrapalhar. - dizia ela aborrecida.

Jane deixava escapar uma pequena risada, e Lisbon imediatamente se virava... e o olhava seriamente.

- Sabe... eu adoro esse seus ciúme, acho uma graça. É um outro lado seu interessante. - dizia ele, com um sorriso maldoso.
- Ha... ha... ha... - dizia Lisbon pausadamente, fingindo uma risada.

Patrick dava mais um pequeno passo, o suficiente para poderem sentir a respiração um do outro....

- Eu estava tendo uma conversa séria com a Kristina.
- Isso não é da minha conta, na verdade não quero saber... - dizia Lisbon, em um tom nervoso.

Patrick sorria, e então mordia o lábio inferior enquanto olhava nos olhos dela...

- Na verdade, foi uma conversa muito interessante... - dizia ele, com um sorriso maroto.
- Jane... eu não quero...
- Ela disse que me amava, e me pediu para que eu ficasse com ela.
- Ha!... E você?
- Achei que não estava interassada em saber... - perguntava ele, em meio á risos.

Lisbon o encarava com um ar aborrecido.

- Eu disse que eu não poderia... - revelava ele, enquanto fazia um tremendo esforço para não rir.
- Por que? - perguntava Lisbon, tentando não sorrir.
- Porque eu amo outra mulher.... - dizia ele, enquanto mostrava a Lisbon um pequeno buque de rosas vermelhas que estava escondido em suas mãos.

Lisbon sorria encantada com o gesto.

- Eu não quero outra mulher... só você. - dizia ele, enquanto se inclinava sob o rosto dela e lhe roubava um beijo.

Lisbon correspondia a altura, e o beijava com paixão.
Enquanto seus lábios se tocavam calmamente, Patrick pegava as flores e as soltava no sofá que tinha perto deles.

- Uou! - dizia Lisbon, quando sentia que Patrick havia a pego em seus braços.
- Eu te amo Lisbon.
- Eu também amo você Jane... - dizia ela, de todo o seu coração.

Patrick e Lisbon trocavam um longo beijo enquanto o consultor, a levava com cuidado em direção ao quarto.







Continua...........
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por ladymarion em Sab Out 01, 2011 10:07 pm

Capítulo 10 - Final







Na casa de Lisbon



Lisbon acordava lentamente, e então via alguns braços fortes envolvendo o seu corpo.
Ela virava a cabeça para o lado e sorria ao notar que Jane estava acordado, a observando...

- Oi... - dizia ele, com um sorriso sedutor.
- Oi. - falava a agente, enquanto lhe dava um sorriso tímido.

Patrick se encantava ainda mais, e impulsivamente lhe roubava um longo beijo.

- Não acredito que fizemos isso... - comentava Lisbon, enquanto tentava segurar o riso.
- Pois fizemos, e como... fizemos. - dizia Patrick, com uma risadinha marota.
- Jane... - resmungava Lisbon enquanto sorria, já se sentando sob a cama e puxando os lençóis até o peito.

Jane sorria e se sentava ao lado dela, deixando o seu peito a mostra.
Lisbon perdia a respiração ao ve-lo tão exposto, ele tinha uma expressão sonolenta que o deixava ainda mais sexy.

- Adoraria ler sua mente agora... - dizia ele de forma provocativa, a medida que a via observa-lo por inteiro.
- Engracadinho... - dizia ela, já lhe jogando um travesseiro no rosto.

Os dois deixavam escapar uma pequena risada.

- O que faremos hoje? - perguntava ele despreocupadamente, enquanto colocava o travesseiro em suas costas.
- O de sempre... trabalho. - respondia Lisbon, que já erguia as sobrancelhas de forma debochada.
- O que? Não acredito que está me expulsando... estou me sentindo usado agora... - resmungava Jane, continuando a provoca-la.

Lisbon sorria enquanto lhe mostrava a língua...

- Você entendeu... precisamos voltar a CBI. - explicava ela, já pegando a camisa de Jane que estava sob a cama para vesti-la.
- Mas... - murmurava ele, de uma forma engraçada.
- Nada de mas... - dizia Lisbon, enquanto jogava a roupa de cama para o lado afim de se levantar.
- Eu ia dizer que... não precisa se preocupar com o trabalho, mas se quer ir mesmo assim vá... eu ficarei aqui dormindo... sonhando com você... - dizia ele, fechando os olhos enquanto sorria tranquilamente.
- Jane... o que você fez? - perguntava Lisbon, que o encarava enquanto tentava permanecer séria.
- Eu? Nada... - dizia ele, ainda sorrindo.
- Patrick Jane... - resmungava Lisbon, em um tom mais sério.

Jane rapidamente abria os olhos, e via que ela parecia preocupada...

- Relaxe... não fiz nada demais, apenas... sugeri a Hightower que nos desse dois dias de folga... - comentava ele, em um tom carinhoso
- Sugeriu? Mesmo? - insistia Lisbon, sem acreditar muito no que ele dizia.
- Bem...
- Jane, você não fez isso... - dizia ela, gesticulando diversas vezes com a cabeça em forma negativa.
- Eu... - murmurava ele, com uma voz suave.

Lisbon o encarava rapidamente.
Jane no entanto, mordia o lábio enquanto fazia uma careta envergonhada....

- Não acredito que hipnotizou ela... você é louco, podemos ser demitidos por isso. - dizia Lisbon irritadíssima, já pegando um outro travesseiro... e o jogava contra Jane por diversa vezes.
- Hey! Pare... - dizia ele, em meio á risos.

O telefone de Lisbon tocava, ela rapidamente largava o travesseiro enquanto pegava o aparelho em cima da cômoda...

- Lisbon... - dizia ela, um pouco nervosa.

Jane na maior cara-de-pau, se espreguiçava tranquilamente...

- Oi Van Pelt, algum problema?

Lisbon olhava seriamente ao Patrick enquanto falava com sua agente.
O consultor sorria malicioso, e batia as mãos na cama para que Lisbon se juntasse á ele.

- Está bem, a gente se fala depois. - dizia Lisbon, enquanto desligava o aparelho e o colocava de volta no lugar.

Jane fazia uma careta engraçada ao ver que Lisbon parecia muito aborrecida....

- Você fez Hightower dispensar toda a equipe? - perguntava ela assustada.
- Na verdade, eu fiz ela dar folga de dois dia a todos os agentes do prédio. - dizia ele, enquanto sorria.
- Oh! Deus.... - resmungava Lisbon, enquanto se sentava lentamente na lateral da cama.
- Não se preocupe..
- Não se preocupe? É tudo que sabe dizer? - resmungava ela, enquanto olhava nos olhos de Jane.

Jane se inclinava próximo a ela, seus lábios quase se tocavam....

- Eu tenho tudo sob controle... pode acreditar. - afirmava ele, de uma forma sedutora enquanto acariciava o rosto dela.
- Sei... - resmungava Lisbon, mantendo sua expressão zangada.

Jane sorria, e meticulosamente ele depositava diversos beijinhos pelo rosto dela, seguindo lentamente ao pescoço...
Lisbon suspirava ao sentir os lábios dele sob sua pele..

- Vamos pensar nisso daqui a dois dias ok? - dizia ele, enquanto mordia a pontinha de sua orelha.
- Não... está tentamento me hipnotizar está? - perguntava ela, quase sem fôlego.
- Sabe que a idéia não é má? - provocava Jane, enquanto ria descaradamente.

- Patrick Jane... - dizia Lisbon seriamente.

Patrick sorria e rapidamente tomava os lábios dela com paixão.
Lisbon bem que tentou resistir, mas não conseguiu.

- Jane... - murmurava ela, enquanto o beijava com mais intensidade.

Patrick a puxava para si, fazendo com que ela ficasse deitada por cima dele.

- Deixe os problemas para daqui a dois dias, temos coisas mais interessantes para fazer. - dizia ele, carinhosamete.

Lisbon sorria enquanto acariciava o rosto dele.

- Estamos enrascados... - dizia ela, já deixando escapar uma pequena risada.
- Ah! Eu sei... mas te garanto que valerá muito a pena... - dizia ele enquanto lhe piscava.

Lisbon sorria e então lhe beijava uma outra vez.
As mãos de ambos percorriam o corpo um do outro sem pressa.
Esses dois dias seriam apenas deles...



Dois dias depois
No prédio da CBI




Lisbon e Patrick estavam saindo do elevador, é quando viam Rigsby, Cho e Van Pelt a espera deles.

- Oi pessoal... - dizia Patrick com um sorriso iluminado, bem ao lado de Lisbon.
- Oi Jane... nossa, você parece...
- Feliz. - diziam Van Pelt e Cho ao mesmo tempo a medida que interrompiam Rigsby.

Os três agentes sorriam rapidamente.
Lisbon no entanto pigarreava um pouco sem graça, já Jane... não se preocupava com nada....

- Hightower já chegou? - perguntava Lisbon, um pouco tensa.
- Já sim... e disse que queria ver vocês dois, imediatamente.... - dizia Van Pelt, enquanto torcia os lábios.

Patrick deixava escapar uma pequena risada...

- Viu só? Estamos ferrados... - dizia Lisbon irritada, enquanto marchava até a sala da chefe.
- Ela não fica linda desse jeito? - dizia Patrick, que já ia atrás da amada.

Van Pelt, Rigsby e Cho trocavam um olhar curioso.
Pensando no que poderia ter acontecido que deixasse Lisbon tão apreensiva.

- Não, ele não fez isso... - dizia Rigsby, sorrindo de forma nervosa.
- Eu não duvidaria... - argumentava Van Pelt, enquanto erguia as sobrancelhas.
- Considerando a alegria estampada na cara dele, e o nervosismo da Lisbon... eu diria que ele fez sim... - dizia Cho, que andava lentamente até sua mesa.

Rigsby e Van Pelt sorriam e seguiam atrás de Cho.
Os três agentes observavam Patrick e Lisbon na sala de Hightower, um pouco nervosos com o que poderia acontecer...

Enquanto isso....
Jane e Lisbon estavam em frente a mesa de Hightower, esperando que ela terminava um telefonema.

- Que bom que apareceram... - dizia ela, enquanto olhava fixamente para os dois agentes.
- Chefe...
- Não agente Lisbon... - dizia ela calmamente, enquanto fazia um sinal com a mão para que se calasse.
- Realmente... estamos enrascados... - sussurrava Patrick á Lisbon.

Lisbon o olhava seriamente, para que ele ficasse quieto.

- Bem, eu tenho algo para lhes dizer... recebi um telefonema do hospital. Kristina foi liberada, já esta acomodada em casa.
- Ah! Que bom... - dizia Lisbon, mais aliviada.
- Isso é... uma boa notícia... - continuava Jane, enquanto sorria a chefe.
- Também acho... mas não foi só por isso que os chamei. - dizia Hightower, enquanto cruzava os braços e apoiava suas costas na cadeira.

Lisbon estava visivelmente nervosa, já Patrick olhava em várias direções enquanto assoviava e balançava as pernas para frente e para trás.

- Logo que assumi este cargo na CBI, a agente Van Pelt veio falar comigo.
- O que? - perguntava Lisbon, que não sabia de nada sobre isso.
- Hun! Eu imaginei que um deles faria isso... - dizia Jane tranquilamente.

Lisbon e Hightower olhavam diretamente ao consultor.

- Continue por favor... - dizia Patrick, com um largo sorriso.
- A agente Van Pelt me falou sobre a relação entre ela e o agente Rigsby.
- Senhora... - dizia Lisbon, um pouco tensa.
- Por favor agente Lisbon, me deixe terminar sim? - dizia a chefe, com um pequeno sorriso.
- Claro, me desculpe. - falava Lisbon, um pouco envergonhada.

Jane no entanto olhava para Higthtower com um pequeno sorriso.

- A questão é que, ela me fez uma solicitação na época... queria que o governador revesse a questão da política sobre o envolvimento pessoal entre os agentes na CBI.
- Eu não sabia...
- Eu sei, ela me disse que não pediria para você relatar o assunto, pois achou que poderia prejudica-la oficialmente.

Lisbon balançava a cabeça em forma positiva, deixando claro que entendia Van Pelt.

- Bem, levei isso ao governador... ele estudou a situação, viu a ficha dos dois agentes e se pronunciou sobre o caso.

Patrick e Lisbon se entre-olhavam de forma curiosa.

- E como Van Pelt, muitos outros agentes fizeram o mesmo pedido então... a partir do mês que vem, essa regra será refeita. Se os agentes provarem que um relacionamento pessoal, romântico... não irá interirir em seu trabalho na unidade. Não haverá problemas....

Jane e Lisbon trocavam um olhar surpreso.

- Isso é... muito bom. - dizia Lisbon animada.
- Van Pelt vai amar a notícia. - relatava Patrick, sorrindo para as duas oficiais da CBI.
- Bem, era só isso... temos muito bandidos á prender. - dizia Hightower, que sorria aos dois.
- Sim senhora... - falava Lisbon, já deixando a sala.

Patrick sorria para Hightower mais uma vez antes de se afastar.
Mas a medida que ele se aproximava da porta, a chefe da unidade o chamava novamente....

- Jane?
- Sim ? - perguntava ele, enquanto virava o seu corpo em direção á ela.
- Você por um acaso, saberia me dizer o porque de eu não me lembrar que dei folga de dois dias a todos os agentes do prédio? - perguntava Hightower, enquanto o encarava seriamente.
- Hunnnn !... Não. - respondia ele pausadamente.
- Porque isso é estranho, pois não costumo ter lápsos de memória... e não daria folga a todos os meus agentes sem uma razão muito séria. - insistia ela, enquanto analizava a conduta de Jane.
- Realmente, não faço idéia do que... possa ter acontecido - dizia ele, lhe dando o melhor dos seus sorrisos.
- ok. Pode ir então... - relatava Hightower, com um pequeno sorriso.

Jane se afastava lentamente, e após sair pela porta ele corria até Lisbon e os amigos.
Hightower balançava a cabeça em forma negativa enquanto sorria.
Ela podia não ser tão perspicaz quanto Patrick Jane, mas seus instintos diziam que o consultor sabia muito mais do que havia lhe dito.



Segundos depois



Jane se aproximava de seus amigos, que ainda estavam escorados em uma de suas mesas.
Todos pareciam alegres com a conversa que tinham com Lisbon....

- Não acredito, finalmente podemos ficar juntos sem problemas. - dizia Van Pelt, abraçada a Rigsby.
- Parece um sonho. - comentava Rigsby, que a beijava logo em seguida.

Lisbon e Patrick trocavam um pequeno sorriso.

- Hey! E quanto a vocês dois? Agora poderão assumir que sentem um pelo outro, não é mesmo? - dizia Van Pelt, dando um sorriso maroto a medida que olhava para Jane e Lisbon.
- Já fizemos isso... lá na praia. - comentava Jane de uma forma engraçada, enquanto piscava á Van Pelt.
- Ahhhhhh! - diziam os agentes em coro, antes de cairem na gargalhada.

Lisbon colocava as mãos no rosto enquanto sorria.
Já Jane piscava para ela com uma expressão divertida.


- Agora só falta o Cho arrumar uma namorada. - brincava Rigsby.

- Quem disse que eu não tenho uma? - perguntava ele ao amigo, em um tom provocativo.

Os amigos começavam a rir outra vez....

- O que acham de comemorarmos na cafeteria do outro lado da rua? - dizia Van Pelt, enquanto olhava para eles.
-

Ainda temos uma meia hora... - argumentava Lisbon.
- Então vamos lá... - comentava Rigsby, que já puxava Van Pelt em direção ao elevador.

Cho ia calmamente logo atrás deles.
Patrick e Lisbon seguiam os amigos, eles andavam lado á lado... de mãos dadas.
O consultor sussurrava algumas palavras no ouvido dela, a fazendo rir sem parar...

Assim que todos entravam animados no elevador, Kristina Frye aparecia no meio do escritório.

- Aproveitem.... aproveitem enquanto podem. A alegria de você vai durar muito pouco, principalmente a sua agente Lisbon... - dizia a vidente, com um sorriso diabólico nos lábios assim que via a porta do elevador se fechando.







****************** FIM ******************
avatar
ladymarion
Amiga Íntima do Simon
Amiga Íntima do Simon

Mensagens : 27
Macaco Feminino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Finalizada Re: Confusões Amorosas (PG-13) - Capítulo 10 - Final - 02/10/11

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum